Destaque

Santa Catarina tem redução nos índices de criminalidade no primeiro semestre de 2020

Menos furtos e roubos, menos feminicídios e menos latrocínios. Os índices de criminalidade diminuíram em Santa Catarina entre os meses de janeiro e junho de 2020. Estes e outros indicadores foram apresentados ao governador Carlos Moisés nesta segunda (22), pelos integrantes do Colegiado de Segurança Pública, em reunião na Casa d’Agronômica. O uso da tecnologia é um dos fatores que garantiram o resultado, já que permite maior agilidade e eficiência no registro e atendimento de ocorrências.

“Santa Catarina é um Estado respeitado pelo trabalho que desenvolve na área da Segurança Pública. Queremos reconhecer o trabalho de homens e mulheres que se dedicam a esta missão, com coragem, inteligência e integração”, frisou Carlos Moisés.

O governador também afirmou que o uso da tecnologia é um caminho sem volta nas ações do setor. “É o significado de fazer mais com menos. A tecnologia traz mais eficiência tanto para quem precisa quanto para quem presta o serviço. Temos como desafio avançar cada vez mais nesta temática”, disse.

Redução da violência e criminalidade

Segundo as informações do Colegiado Superior de Segurança Pública de Santa Catarina, entre 1 de janeiro e 22 de junho de 2020, o número de latrocínios (roubo seguido de morte) teve uma redução de 75,3 % no comparativo com o mesmo período de 2018 – é o melhor índice da série histórica desde 2008.

Os furtos e roubos a instituições financeiras também tiveram uma redução de 47,9% em relação ao mesmo período do ano passado. Neste ano, até o dia 22/06, não houve registro de utilização de explosivo e, na grande maioria dos casos, não houve consumação do furto ou roubo – ou seja, os criminosos não conseguiram êxito na ação.

Os roubos e furtos a residências, comércios, transeuntes e transportes de carga também diminuíram no Estado. No crime de roubo, a taxa de ocorrências para cada 100 mil habitantes chegou a atingir 134,9 em 2016 e hoje está em 68,7, sendo 2020 o melhor ano da série histórica.

Na análise do período (1 de janeiro a 22 de junho), também foi registrada queda de 23,3 % nos casos de feminicídio. A comparação é com o mesmo período de 2019.

Tecnologia e resolutividade

O uso da tecnologia compõe outro dado importante nos indicadores da Segurança Pública. Em janeiro de 2020, o percentual de registros de boletins de ocorrência via delegacia virtual representava apenas 22,8%, número que subiu para 54,1% em junho, sendo agora o maior canal de registro de ocorrência do Estado. Isso representa serviços mais acessíveis à população e economia de recursos ao Estado.

O presidente do Colegiado de Segurança Pública, delegado-geral Paulo Koerich, destaca o trabalho da Segurança Pública na resolutividade dos casos. Atualmente, a média catarinense está em 75% dos casos.

“Queremos bater essa marca. No ano passado nós já superamos o percentual de 70%. Se pegarmos como referência o número de homicídios, por exemplo, nós temos hoje em Santa Catarina mais de 196 municípios sem nenhum caso sequer. Isso demonstra a qualidade da Segurança Pública catarinense, e, por outro lado, aumenta a nossa responsabilidade. Este ano nós já temos 54% de resolução dos casos de homicídio, o que nos permite projetar um percentual maior que o registrado no ano passado”, finalizou Koerich.

Também participaram da reunião os demais integrantes do Colegiado Superior de Segurança Pública de Santa Catarina: comandante-geral da Polícia Militar, Dionei Tonet; comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar, Charles Alexandre Vieira; e o perito-geral do IGP, Giovani Adriano.

Receba Notícias no seu WhatasApp?
Clique no link: https://chat.whatsapp.com/J4WlEehakUP9cOsnsHJ4Ng ?

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios