Destaque

Júri condena traficante que matou amigo por erro de pontaria durante cobrança de dívida

Já passava das 23 horas, depois de 14 horas de trabalhos, quando o juiz da Vara Única de Descanso, no Extremo-Oeste de Santa Catarina, leu a sentença do último júri do ano naquela comarca. Um homem foi condenado a 16 anos de reclusão, em regime fechado, por homicídio qualificado por motivo torpe e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima, além de porte ilegal de arma de fogo. Ele respondeu pelo assassinato de um comparsa, ao errar a pontaria, durante uma cobrança de dívida por drogas, em Belmonte.

?Quer ficar BEM INFORMADO?⏬
Clique abaixo e receba NOTÍCIAS EM SEU WHATSAPP
??Acesse nosso grupo de NEGÓCIOS/CLASSIFICADOS?

A sessão de julgamento iniciou às 9h de quinta-feira (23/11). Como réus, estavam duas mulheres e quatro homens. O responsável pelo disparo fatal foi condenado pelo homicídio duplamente qualificado. Outros quatro agentes tiveram a conduta desclassificada para o crime de ameaça e o outro acusado conseguiu comprovar sua inocência, após resposta dos quesitos pelo conselho de sentença.

De acordo com a denúncia, na noite de 16 de julho de 2021, o autor do disparo fatal de arma de fogo tinha valores para receber de um homem para quem havia vendido drogas. Com a ajuda de duas acusadas, atraiu o devedor e um amigo até um local conhecido como pedreira, interior de Belmonte. A ideia era comprar drogas de um homem chamado “Fernando” que, na verdade, era um dos comparsas do mentor. Outros dois acusados, armados com canivete e faca, acompanharam o mandante na ação. Ficaram escondidos na mata e quando o alvo se aproximou, houve o disparo de espingarda. Por erro de pontaria, o suposto vendedor de droga foi atingido fatalmente. O processo tramita em segredo de justiça.

Uma terceira mulher foi acusada por esconder a arma no dia seguinte, mas aceitou acordo proposto pelo Ministério Público e o processo dela foi suspenso.

 

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios