Geral

Sindicato Rural inscreve produtores para assistência técnica do Senar em Chapecó

O Sindicato Rural de Chapecó e Região está com inscrições abertas para a participação de produtores no programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/SC), órgão vinculado à Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc). O programa oferece acompanhamento técnico durante dois anos para desenvolvimento da produção, gerenciamento das atividades e gestão dos negócios. A oportunidade é para as cadeias leiteira, pecuária de corte e agroindústrias artesanais, nova ATeG ofertada pelo Senar no Estado.

Clique aqui e receba notícias de Chapecó e Região, do Brasil e do mundo pelo WhatsApp!

Os produtores interessados no programa devem entrar em contato com o Sindicato Rural, que abrange seis municípios do entorno de Chapecó, além da sede — Guatambu, Caxambu do Sul, Cordilheira Alta, Planalto Alegre, Nova Itaberaba e Coronel Freitas. De acordo com o presidente do Sindicato e vice-presidente regional da Faesc, Ricardo Lunardi, as novas turmas das cadeias leiteira e agroindústria iniciam a assistência técnica em setembro e outubro, e a da pecuária de corte a partir de maio do próximo ano.

“Todos os produtores que já participaram do programa manifestam o desejo de permanecerem com assistência técnica porque a ATeG melhora a produtividade e possibilita o incremento da renda nas propriedades. É um trabalho técnico que utiliza dados e metodologias que contribuem no gerenciamento das atividades como controle de custos, manejo adequado e tomada de decisões”, explica Lunardi.

Segundo o presidente do Sistema Faesc/Senar-SC, José Zeferino Pedrozo, a assistência técnica e gerencial tem alcançado resultados relevantes em oito cadeias produtivas em Santa Catarina: pecuária leiteira e de corte, ovinocultura, apicultura, olericultura, fruticultura, piscicultura e maricultura. A inovação deste ano na agroindústria amplia o atendimento no setor que tem crescido exponencialmente no Estado.

“O programa já está consolidado e todo ano mostra a evolução das propriedades em todas as regiões. Na nova cadeia, nosso objetivo é agregar valor à produção de alimentos nas pequenas e médias agroindústrias familiares, que são mais de 1.300 no Estado”, detalha Pedrozo.

Lunardi afirma que a oferta do programa é um avanço na região que se destaca na cadeia da agroindústria. “Temos mais de 100 produtores na região que trabalham com agroindústria artesanal, seja na produção de carnes e derivados ou leite e derivados. É uma área forte e em pleno desenvolvimento que certamente vai agregar ao Estado em produtividade a partir da assistência técnica e gerencial”.

Qualificação

Segundo a coordenadora estadual do programa nas cadeiras de leite e agroindústria artesanal, Paula Araújo Dias Coimbra Nunes, a ATeG atende 1.785 propriedades em 144 municípios do Estado na produção de leite e ajudou a aumentar em 14% a produtividade média de todas as propriedades assistidas em apenas um ano de atendimento. Na nova cadeia ofertada, o programa vai qualificar produtores para gestão básica das agroindústrias, boas práticas de fabricação e de manipulação de alimentos.

“É um trabalho continuado, que engloba todos os processos da cadeia produtiva e possibilita a realização de ações efetivas nas áreas econômica, social e ambiental, assim como os processos de gestão do negócio. Tudo isso possibilita a evolução socioeconômica da família e da comunidade”, ressalta Paula.

Na pecuária de corte, conforme o coordenador estadual, Antônio Marcos Pagani de Souza, são atendidos 1.479 produtores rurais em 134 municípios, número que abrange 46% do território estadual. “Com a ATeG, foi possível incrementar o faturamento anual total das propriedades assistidas de R$ 73,7 milhões para R$ 84,3 milhões, aumento de 14% em três anos, além do melhoramento genético. O programa representa um avanço na capacitação dos produtores rurais”, destaca. (MB Comunicação).

 

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios