Destaque

Segurança para o agronegócio foi debatido

Na manhã desta segunda (29), o diretor de Polícia da Fronteira Delegado Fernando Callfass, recebeu em audiência na sede da Difron em Chapecó, o secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural de Santa Catarina, Deputado Estadual Altair Silva, o Presidente da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), Plinio de Castro e a Conselheiro Técnica do Instituto Catarinense de Sanidade Agropecuária (ICASA), Dra. Luciane Surdi.

Clique aqui e receba notícias de Chapecó e Região, do Brasil e do mundo pelo WhatsApp

Durante a produtiva reunião foram debatidas diversas questões afetas as políticas públicas de segurança para o setor do agronegócio catarinense.

O Delegado Fernando Callfass, fez uma explanação sobre o planejamento da Polícia Civil de Santa Catarina para a implantação de um modelo eficiente de investigação policial dos crimes contra o agronegócio.

Também foram debatidas estratégias de integração para o aprimoramento das investigações policiais para a defesa agropecuária e segurança do alimento, mantendo assim a excelência sanitária do rebanho de animais.

Santa Catarina coleciona os títulos de maior produtor nacional de suínos, maçã e cebola; segundo maior produtor de aves e arroz e quarto maior produtor de leite. O estado é livre de Cydia pomonella, considerado o pior inseto praga da fruticultura e também é o primeiro estado do país reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como área livre de febre aftosa sem vacinação – status que abre as portas para os mercados mais exigentes do mundo.

O setor do agronegócio responde por 31% do PIB de Santa Catarina e sustenta 70% das exportações catarinenses, necessitando de uma intervenção do poder estatal para dar maior segurança ao setor.
Integração e união das forças em favor dos produtores rurais e do agronegócio Catarinense.

 

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios