DestaqueEconomia

Santa Catarina debate ampliar a produção de milho na região Sul

Grande consumidor de milho, Santa Catarina quer ampliar a produção do grão aproveitando o conhecimento aplicado em outras cultivares. Esse foi o tema do encontro do secretário de estado da agricultura, da pesca e do desenvolvimento rural, Altair Silva, técnicos e lideranças da Cooperativa Agroindustrial Cooperja, em Jacinto Machado, nesta quinta (11).

Clique aqui e receba notícias de Chapecó e Região, do Brasil e do mundo pelo WhatsApp!

“O milho é um dos motores de nossa economia. Toda nossa cadeia produtiva de carnes e leite depende do fornecimento do grão. Se houver espaço para avançar na produção de milho na região Sul, a Secretaria da Agricultura tem muito interesse em construir uma ação em conjunto com os produtores. O Terra Boa já é um sucesso na região, fomentando a produção local, e podemos crescer ainda mais”, ressaltou o secretário Altair Silva.

O presidente da Cooperja, Vanir Zanatta, disse que será um desafio encontrar uma solução para as terras que ficam vazias no inverno na região. “O secretário Altair lançou o desafio, cabe a nós pensar juntos, cooperativas, Epagri, prefeituras, Secretaria da Agricultura do Estado, para diminuir nossa dependência de milho de outros estados da federação”.

Mais da metade da produção de milho da região Sul ocorre graças ao apoio da Secretaria da Agricultura, com o Programa Terra Boa. Em 2020, foram mais de 15 mil sacas de sementes adquiridas com o suporte do Estado.

Segundo o coordenador do projeto grãos da Epagri para a região Sul, Douglas Oliveira, o desafio agora é aproveitar a expertise na produção de arroz, com o manejo e irrigação, para aumentar a produtividade de milho na região.

Outra alternativa é aproveitar a área de arroz na entressafra, durante o inverno, para produção de espécies forrageiras da estação, que podem ser utilizadas como alternativa na alimentação animal.  A Epagri já iniciou os experimentos para analisar a viabilidade da produção na região.

“O Sul de Santa Catarina é referência nacional na produção de arroz e queremos agregar esse conhecimento também para a produção de milho. Como uma alternativa de renda para os agricultores, diversificando e fortalecendo a economia local”, explica o secretário adjunto da Agricultura, Ricardo Miotto.

Em visita ao Campo Demonstrativo da Cooperja, a equipe acompanhou ainda novas tecnologias e cultivares disponíveis para aumentar a produtividade de soja, arroz, maracujá e pitaya.

Investimento

Em sua passagem por Jacinto Machado, o secretário visitou a nova indústria de beneficiamento de arroz da Cooperja.

“Nossa nova indústria trará maior segurança, diminuição de custos, maior agilidade no processo, e rentabilidade. Nosso foco sempre foi uma maior renda aos nossos associados. Com este pensamento, nossos profissionais de campo buscam desenvolver atividades e culturas que além de facilitar o trabalho dos agricultores, também proporcionam renda as famílias”, afirma o presidente da Cooperja, Vanir Zanatta.

O empreendimento contou com R$ 60 milhões em investimentos e deve beneficiar 12,5 mil toneladas de arroz por mês.

Soja no Sul do estado

O secretário da agricultura, Altair Silva, e o secretário adjunto, Ricardo Miotto, encerraram o roteiro pelo Sul do estado com visita à Copagro, em Tubarão, onde participaram de encontro com lideranças e agricultores.

Com 200 associados, a Cooperativa tem representação expressiva na produção de arroz e inicia agora os investimentos na produção de soja na região. “Estamos fazendo a nossa parte tentando melhorar, buscando ajudar o estado e valorizar a produção do agricultor”, afirma o presidente da Copagro, Dionísio Bressan.

 

Etiquetas

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios