EducaçãoGeral

Reposicionamento do Movimento SC pela Educação é apresentado no Oeste

A Câmara Regional Oeste do Movimento Santa Catarina pela Educação promoveu reunião on-line nesta quarta (4), momento em que foi apresentado o reposicionamento do Movimento para 2020 e 2021. Nestes dois anos será trabalhado o tema Empresas e o Futuro do Trabalhador, contribuindo para dar uma resposta aos profissionais e empresas afetados pela pandemia.

De acordo com o assessor de Responsabilidade Social da Fiesc, Sandro Volpato Faria, diante do contexto da Covid-19, pessoas e empresas necessitam de apoio no processo irreversível de demissões, especialmente no que diz respeito aos aspectos sociais, comportamentais, econômicos e tecnológicos. O objetivo do reposicionamento do Movimento SC pela Educação é capacitar trabalhadores desligados para a inclusão no mercado de trabalho e, consequentemente, as empresas terem a disponibilidade de profissionais mais qualificados para a contratação.

Clique aqui e receba notícias de Chapecó e Região, do Brasil e do mundo pelo WhatsApp!

O novo modelo visa atender todos os segmentos empresariais do Estado. “Focalizamos em pessoas que perderam o emprego ou que querem se reposicionar no mercado de trabalho. Para isso, teremos uma plataforma que fará a conexão entre as partes envolvidas, ou seja, terá um canal de comunicação entre desempregados e empresas, com links para cadastrar currículos e vagas de emprego, além de trilhas de aprendizagem gratuitas”, explica Faria.

Entre os temas que serão abordados nas trilhas de aprendizagem estão mundo digital, matemática, português, inglês, competências socioemocionais e lógica de programação. “A intenção é proporcionar qualificações transversais, em nível básico, e numa segunda etapa oferecer capacitações com temas específicos”, relata Faria, ao acrescentar que estão sendo feitas parcerias com diversas instituições para a promoção dos cursos.

Uma parceria será com a Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABHR/SC), para a formulação das bases para a elaboração do Plano de Desenvolvimento de Pessoas. A líder do Programa Movimento SC pela Educação, Osnilda Leite, lembra que em 2016 foi firmada uma parceria com a ABRH e construído um plano de maneira colaborativa. “Precisamos atualizá-lo para que seja uma orientação às empresas desenvolverem os seus planos de RH”. As ações serão desenvolvidas para identificar novas funções requeridas pelo novo cenário econômico; modernização, de forma colaborativa, das bases do Plano que atenda as demandas atuais e futuras das empresas e para atuação mais estratégica dos setores de recursos humanos.

A Fiesc já disponibiliza um canal com dicas em diversos assuntos. É o https://fiesc.com.br/ligapelotrabalho, onde pode-se encontrar orientações de finanças pessoais, como se preparar para um novo emprego e equilíbrio emocional em tempos de incertezas.

Mobilização regional

Osnilda destaca a atuação das Câmaras Regionais para a mobilização das pessoas e alcance dos resultados, análise e priorização das ações e demandas face às especificidades de cada regional, desdobramento das demandas para a execução e acompanhamento dos indicadores.

O vice-presidente regional Oeste da Fiesc, Waldemar Schmitz, assinala que o reposicionamento do Movimento vem ao encontro dos anseios da sociedade com as mudanças provocadas pelo novo coronavírus. “Todos precisamos repensar nosso dia a dia pessoal e profissional. O Movimento SC pela Educação está atento e acompanhando as tendências que, com a pandemia, estão aceleradas”.

O gerente executivo do Sesi, do Senai e do IEL nas regionais Oeste e Extremo Oeste, Geferson Luiz dos Santos, reforça a necessidade de constante qualificação das pessoas para manter a competitividade tanto dos profissionais quanto das empresas. “Nossa região é diferenciada, pois não foi tão afetada pela pandemia. Temos vagas de trabalho disponíveis na indústria, porém nem sempre há profissionais qualificados para essas vagas”.

O gerente regional do Sebrae/SC no oeste e extremo oeste, Udo Martin Trennepohl, destaca a importância de qualificar os profissionais e empreendedores também no segmento de micro e pequenas empresas. “Temos muitos desafios, principalmente no desenvolvimento tecnológico dos micro e pequenos negócios. Precisamos fortalecê-los porque são uma base importante da economia, que gera muitos empregos e geralmente não consegue acompanhar as tendências sem auxílio. O Sebrae tem diversos programas que podem contribuir com o Movimento SC pela Educação”.

A necessidade de expansão tecnológica nas áreas rurais do Estado foi ressaltada pelo supervisor regional do Senar no Oeste, Helder Jorge Barbosa. Segundo ele, a inovação e tecnologia estão cada vez mais presentes no campo. “Temos uma grande preocupação quanto ao acesso à internet nas propriedades. É uma questão que precisamos trabalhar e aprimorar para levar cada vez mais competitividade também às áreas rurais”.

O diretor acadêmico da Unoesc Chapecó, professor Celso Paulo Costa, elogiou o trabalho da Câmara Regional do Movimento SC pela Educação na proposição de um programa de formação aos desempregados do Estado, ao mesmo tempo em que informou que a universidade dispõe de capacitações on-line gratuitas em diferentes temas e possui profissionais que podem contribuir com as trilhas de aprendizagem do Movimento. “A instituição é parceira e está à disposição para colaborar em todo o processo”.

Movimento SC pela Educação

O Movimento Santa Catarina pela Educação é uma iniciativa desenvolvida pela Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) desde 2012, com participação do Sesi e do Senai. Obteve a adesão dos serviços de aprendizagem e social do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio, Senac e Sesc), Agricultura (Faesc e Senar), Transportes e Logística (Fetrancesc, Sest e Senat), além das entidades representativas dos trabalhadores das indústrias e de instituições públicas, como a Secretaria de Estado da Educação e a União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime-SC).

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios