Destaque

Reforço para o caixa dos municípios

Durante este período de pandemia, o Congresso Nacional aprovou e o presidente sancionou a Lei Complementar nº 173/2020, que prevê a concessão de ajuda federal de cerca de R$ 60,15 bilhões a estados, municípios e Distrito Federal para o fortalecimento das ações de combate ao novo coronavírus.

Para o deputado federal Celso Maldaner, ferrenho defensor municipalista e favorável ao projeto, o objetivo do Programa é apoiar estados, Distrito Federal e principalmente os municípios devido a queda na arrecadação e garantir ações de saúde e assistência social por conta da pandemia.

O texto institui o “Programa Federativo de Enfrentamento à Pandemia e altera a Lei de Responsabilidade Fiscal, prevendo a suspensão de débitos junto à União até o final do ano de 2020; a renegociação de operações de crédito junto ao sistema financeiro e aos organismos multilaterais de crédito, inclusive de dívidas com garantia da União e o auxílio financeiro da União aos entes da Federação em quatro parcelas mensais e iguais, no valor total de R$60 bilhões, sendo uma parte para às ações de saúde e de assistência social, outra para estados e outra municípios.

25 bilhões para os municípios

Através desta Lei, os 295 municípios de Santa Catarina contam com a divisão de R$ 974 milhões pagos em 4 parcelas, tendo sido a primeira em junho, seguindo os meses subsequentes até setembro. Em contrapartida, ficam impedidos de aumentar despesas com pessoal e os salários de servidores públicos até o final de 2021. Todos os critérios de repasses foram estabelecidos de acordo com a Lei através do Ministério da Saúde.

Os valores devem ser usados pelos Poderes Executivos em ações de enfrentamento à Covid-19, ou seja, saúde e assistência social e para recomposição do orçamento, tendo em vista os efeitos financeiros da pandemia.

Etiquetas

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios