Blogs e ColunasPolítica

RETICÊNCIAS: Querem implodir o Brasil

Sérgio Moro saiu do governo alegando proteger sua biografia, porém, mal sabe que a mesma já está deteriorada pelas atitudes infantis e danosas à pátria que o mesmo cometeu ao, em meio a uma pandemia, expor o governo com ilações, criando um desgaste político que teve consequências na economia, fragilizando ainda mais nossa moeda. Não bastasse a imaturidade política do ex-juiz, seus advogados de defesa, os mesmos que defenderam Eduardo Cunha e a Odebrecht na Lava-Jato, querem que o STF autorize a divulgação da íntegra do vídeo onde supostamente Bolsonaro tenta interferir na Polícia Federal. Sabemos que nas reuniões internas de governo, quando o chefe do Executivo recebe seus homens de confiança, as pautas são diversas e as formalidades perdem espaço para maior objetividade do encontro. Além disso, são abordados assuntos estratégicos ao país, os chamados segredos de Estado, exigindo a confidencialidade dos temas. Isso não significa não dar transparência aos atos do governo, mas proteger a nação de possíveis crises diplomáticas, uma vez que outros países que têm relações comerciais com o Brasil são citados.

Essa semana, o Ministro Celso de Mello vai decidir se autoriza a divulgação na íntegra da reunião ou permite que apenas os trechos inerentes à investigação das denúncias de Moro venham a público. O STF, na figura do decano da Corte, já deu uma celeridade ao caso nunca vista em decisões anteriores do tribunal. Vale lembrar que o Ministro determinou cinco dias para que Moro prestasse depoimento, na famigerada noite das pizzas, em Curitiba, enquanto ações de Renan Calheiros e outros acusados de corrupção não merecem julgamento. Ainda, na noite de terça-feira, a fim de assistir o vídeo da reunião ministerial, Celso de Mello faltou à sessão da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), que analisaria denúncias contra o senador Humberto Costa (PT-PE), o ex-senador Valdir Raupp (MDB-RO) e o ex-deputado Aníbal Gomes (MDB-CE) na chamada lista da Odebrecht, do Petrolão. Com a ausência do nobre Ministro, o tema saiu da pauta, demonstrando que quando se trata de combate a crimes contra os cofres públicos o STF tem tido parcimônia de sobra.

E, assim, a mercê dos caprichos hermenêuticos do Ministro Celso de Mello, esperamos que somente os órgãos inerentes ao caso tenham acesso a íntegra da reunião, pois interessa apenas aos políticos que querem implodir o país, como Sérgio Moro, expor segredos de Estado…

Eder Boaro é instrutor Master Mind e colunista político

Receba Notícias no seu WhatasApp?
Clique no link: https://chat.whatsapp.com/J4WlEehakUP9cOsnsHJ4Ng

 

Etiquetas

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios