Destaque

Produtor tem recursos disponíveis da Caixa para Pronaf e Pronampe, informa Faesc

Em reunião com lideranças do agronegócio nesta semana em Chapecó, a Caixa Econômica Federal confirmou o banco na liberação de recursos imediatos e diretamente aos produtores por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc) participou do encontro e encaminhou sugestões no atendimento dos agricultores no Estado.

De acordo com o gerente nacional de agronegócio da Caixa Econômica, Vinícius Furlan Silva, o banco abrirá 20 novas agências no País para atendimento específico ao setor, com objetivo de tornar-se o segundo maior player do mercado no agronegócio. “Queremos que o agro tenha a mesma relevância que a habitação tem hoje na Caixa. Temos muitos recursos disponíveis aos produtores com as menores taxas do mercado”, afirma Furlan.

Clique aqui e receba notícias de Chapecó e Região, do Brasil e do mundo pelo WhatsApp!

O superintendente interino de rede da Caixa Econômica no oeste, Leandro Damo, destaca que o banco atua desde 2012 com o Pronaf e o Pronampe, porém os recursos até então eram destinados apenas à cooperativas e grandes produtores. “A Caixa agora vira a chave e repassa recursos diretamente para pequenos e médios produtores, o que aumenta a capilaridade do atendimento”, ressalta.

Para o vice-presidente da Faesc, Enori Barbieri, a iniciativa da Caixa amplia o acesso aos recursos para os produtores no Estado e possibilita maiores investimentos nas propriedades. Durante a reunião, o dirigente sugeriu a criação de canal específico e personalizado para atendimento aos produtores e ressaltou a importância da maior liberação de recursos para investimentos.

“Em Santa Catarina, são 500 mil produtores rurais e 183 mil propriedades, com média de 14 hectares e produção forte em todas as regiões. Não é exagero afirmar que o Estado é o que mais tem projetos no Pronaf no Brasil. Por isso, contar com mais oferta de crédito é muito importante para o desenvolvimento do setor. O que o nosso agricultor precisa é da atenção do sistema bancário no atendimento para deixá-lo mais à vontade e longe das tradicionais filas. Também é fundamental mais dinheiro para investimentos, melhor que custeio, para que o produtor consiga acompanhar as inovações tecnológicas do setor que mais cresce no Brasil”, sublinhou Barbieri.

O dirigente da Faesc também solicitou melhorias nas condições de garantias dos empréstimos aos produtores para ampliar e flexibilizar a contratação de crédito. “Hoje o produtor não consegue contratar um segundo crédito mesmo que esteja no final do pagamento do primeiro, devido às regras e exigências do sistema bancário. É um ponto que pode ser melhorado”, sugeriu Barbieri.

A linha de crédito do Pronaf anunciada pela Caixa é para modalidade de custeio, direcionada a agricultores familiares, com financiamento de até 100% de despesas relativas ao ciclo produtivo de lavouras de café, cana-de-açúcar, milho e soja. Inclui também a aquisição de insumos e pagamentos de serviços. As taxas variam de 3,8% a 6%. “Também queremos liberar recursos represados para investimentos ainda neste mês, porque entendemos essa necessidade”, assegurou o gerente nacional de agronegócio da Caixa.

Convênios

Durante a reunião, a Caixa assinou termo de parceria mútua com o Sindicato Rural de Chapecó e a Associação de Engenheiros Agrônomos do Oeste de Santa Catarina para prestação de serviço ao setor.

O presidente do Sindicato Rural de Chapecó e vice-presidente regional da Faesc, Ricardo Lunardi, afirmou que o ingresso do banco no Pronaf é um avanço importante na região. “Somos uma região de pronafianos, que responde por 75% do PIB municipal e por 60% das exportações do Estado. A oferta de mais recursos amplia o leque aos produtores, gera competitividade e promove desenvolvimento”. MB Comunicação

 

Etiquetas

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios