Prejudicada pelo VAR nas penalidades, Chape é vice-campeã Catarinense

FOTO: Reprodução/TV NSC

Chapecoense e Avaí fizeram uma boa partida no clássico que decidiu o Catarinense 2019, na Ressacada em Florianópolis, na tarde deste domingo. O Leão da Ilha fez a melhor campanha no e por isso teve a oportunidade de decidir em casa. Com o jogo empatado nos 90 minutos, a decisão foi para as penalidades. E foi aí que surgiu a polêmica. A arbitragem deu “barrigada”, com direito a VAR e tudo mais. Não deu o gol na quarta cobrança da Chape e o Avaí que não tinha nada a ver com isso comemorou.

A partida foi na casa do Avaí, mas foi a Chapecoense que deu as boas-vindas. O menino Régis, da base do clube, acertou uma bomba de longe e encobriu o goleiro Waldemir, aos 40 minutos. Até então ninguém pressionou muito. As duas equipes tiveram boas jogadas, mas nem um lance claro de gol.

Na segunda etapa técnico Ney Franco e Chape caíram em um erro muito conhecido e detestado pelo torcedor. Com o resultado de 1 a 0 favorável esperou o adversário, tentando administrar a partida, se abdicou de jogar e o castigo veio. O Avaí foi pra cima com tudo, pressionou, embora não assustou muito, até que nos 30 minutos, quando parecia ter cansado, empatou com um gol de cabeça de Alex Silva, que surgiu no meio dos grandalhões Douglas e Gun, vencendo o goleiro Tiepo. E foi ele, o garoto Tiepo, que salvou o gol que seria a virada, aso 44 minutos.

E veio a cobrança de pênaltis. Avaí saiu batendo e com precisão, João Pedro e Luan fizeram, o mesmo no lado da Chape: Rafael Pereira e Campagnaro. A terceira cobrança Pedro Castro fez para o time da capital e o garoto Aylon, da Chape, perdeu. O Avaí converteu novamente com Jones Carioca e foi a vez de Bruno Pacheco cobrar, a bola estourou no travessão e bateu no chão, nitidamente dentro da linha (VEJA O VÍDEO ABAIXO), o VAR foi acionado e o gol não marcado. Final 4 a 2 para o Avaí, e a taça arranhada pela arbitragem.

 

FICHA TÉCNICA

Avaí: 89)Vladimir 22)Iury 33)Marquinhos Silva 3)Betão 2)Alex Silva 5)Mosquera (André Moritz) 7)Pedro Castro 20)Gegê (Luan Pereira) 19)João Paulo 11)Brizuela (Jones Carioca) 99)Getúlio Técnico – Geninho

Chapecoense: 98)Tiepo 2)Eduardo (Rafael Pereira) 3)Gum 23)Douglas 6)Bruno Pacheco 10)Gustavo Campanharo 8)Márcio Araújo 86)Elicarlos (Lourency) 83)Régis (Amaral) 18)Aylon 77)Everaldo Técnico – Ney Franco

Arbitragem: Bráulio de Silva Machado (Fifa), auxiliado por Helton Nunes (CBF) e Alex dos Santos (CBF). 4º Árbitro – William Machado Steffens (CBF) / 5º Árbitro – Johnny Barros de Oliveira / Delegado – Manoel de Paula Machado // VAR – Árbitro: Rafael Traci; Assistente: Carlos Berkembrock; Supervisor: Vayran da Silva Rosa; Manager: Claudio Freitas

Cartões amarelos: Everaldo, G. Campanharo, Amaral (Chap); João Paulo, Iury, Luan Pereira, Getulio (Avaí)

Estádio: Aderbal Ramos da Silva (Ressacada), em Florianópolis

Horário: 16h (Domingo, dia 21/04/19)

Público: 15.876