DestaqueEconomia

Preço médio da gasolina supera R$ 6 há seis semanas, aponta ANP

O preço do litro da gasolina comum no Brasil está acima de R$ 6 há seis semanas, aponta a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Em média, o litro do combustível no país é vendido a R$ 6,117. Em 19 das 27 unidades da federação, o produto era comercializado por mais de R$ 6 entre 3 e 9 de outubro, período do levantamento mais recente do órgão.

Clique aqui e receba notícias de Chapecó e Região, do Brasil e do mundo pelo WhatsApp

A gasolina mais cara do Brasil está no Rio de Janeiro, onde o litro é vendido pelo preço médio de R$ 6,764. Em segundo lugar aparece o Piauí, com o combustível custando R$ 6,733 o litro, em média. O Rio Grande do Norte vem a seguir (R$ 6,675 o litro).

O Amapá é o estado com o menor preço médio do combustível no país, com o litro vendido a R$ 5,350. Em Roraima, esse valor é de R$ 5,743. São Paulo tem o terceiro menor preço (R$ 5,808). As outras cinco unidades da federação com valor abaixo de R$ 6 são Santa Catarina (R$ 5,814), Paraná (R$ 5,941), Ceará (R$ 5,957), Paraíba (R$ 5,963) e Pernambuco (R$ 5,996).

Em todas as regiões do Brasil, o preço da gasolina comum supera os R$ 6. O Centro-Oeste tem o maior valor médio, com R$ 6,282 o litro. Em segundo lugar está o Nordeste (R$ 6,118), seguido pelo Sudeste (R$ 6,109) e pelo Norte (R$ 6,080). O melhor preço é registrado no Sul, onde o litro da gasolina custa, em média, R$ 6,071.

Inflação

Medidas para barrar a alta dos combustíveis, que têm puxado a escalada da inflação no país, passaram a ocupar o topo de prioridades do governo federal. O presidente Jair Bolsonaro entrou com ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para obrigar o Congresso Nacional a editar em 120 dias uma lei com o objetivo de uniformizar as alíquotas praticadas pelos estados no ICMS dos produtos, parte dos fatores que, segundo o governo, justificam o aumento nos preços.

A Câmara dos Deputados aprovou, na última quarta-feira (13), o texto-base do Projeto de Lei Complementar 11/20, que altera o modelo de incidência do ICMS sobre o preço dos combustíveis. A proposta será analisada pelo Senado.

Em 8 de outubro, a Petrobras anunciou um reajuste de 7,19% no preço médio de venda da gasolina, com o litro passando de R$ 2,78 para R$ 2,98. O valor representa uma alta de R$ 0,20 por litro nos postos.

Risco de faltar gasolina

O Sindicombustíveis-DF disse nesta sexta (15), que existe risco de faltar gasolina no Distrito Federal e em outras unidades da federação. Segundo o presidente do sindicato, Paulo Tavares, apesar do aumento, ainda há defasagem nos preços praticados pela Petrobras. Ao R7, o dirigente declarou que existe em torno de 30% de risco de desabastecimento.

“A defasagem é grande porque o governo está segurando os preços, apesar de não declarar. O governo mantém os preços atrelados ao dólar e ao [valor do] barril do petróleo. As importadoras em Goiânia e Brasília estão sem produtos. Elas passaram a fazer pedidos às refinarias da Petrobras e todas acabaram tendo cotas de litros cortadas”, afirmou Tavares. Do R7 

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios