DestaqueEconomia

Preço do cesto de produtos básicos está mais caro em Chapecó

Está mais caro fazer as compras nos supermercados de Chapecó. Pelo menos é o que diz a nova pesquisa, feita nos dias 1 e 2 de outubro, pelo curso de Ciências Econômicas da Unochapecó, em parceria com o Sindicato do Comércio da Região de Chapecó, por meio do Pesquisas Sicom. O estudo estatístico aponta que o aumento do custo monetário do cesto de 57 produtos básicos é de 6,29%, em comparação a setembro, e esse é o maior aumento registrado desde abril de 2017, quando chegou a 8,83%. Além do mais, é o maior resultado de toda a série histórica para o mês de outubro, com diferença perto de R$ 100,00.

O aumento monetário no custo do cesto básico foi de R$ 94,46 para os consumidores neste mês de outubro. Em setembro, o valor necessário para adquirir o cesto era de R$ 1.501,76 e neste mês chegou a R$ 1.596,22. Se a comparação for feita entre os últimos 12 meses, o aumento registrado é 20,73%, considerando que em outubro de 2019 o custo total do cesto era de R$ 1.322,14, o que representa diferença de R$ 274,08.

O produto que puxou o aumento do preço do cesto neste mês é a banana, em 72,83%. Já a redução mais significativa foi verificada na couve, em 14,66%. A pesquisa identificou que os produtos in natura apresentaram aumento de 26,92% e os semi-industrializados de 5,59%, enquanto o preço dos industrializados aumentou 3,13%. Já os artigos de higiene aumentaram 1,19% em outubro e no grupo dos materiais de limpeza houve redução de 1,57%. O grupo de serviços tarifados, como energia elétrica, água e gás de cozinha, registrou redução de preços na ordem de 1,29%.

Neste mês, uma família chapecoense necessita de 1,53 salários mínimos líquidos para adquirir o cesto de produtos básicos.

Novo aumento da cesta básica

O levantamento conjunto Unochapecó/Sicom também contempla uma síntese dos preços de alguns dos principais produtos que formam a cesta básica de 13 produtos. São eles: açúcar, arroz, banana, batata inglesa, café moído, carne bovina, farinha de trigo, feijão preto, leite, margarina, óleo de soja, pão francês e tomate. Neste mês de outubro, o custo da cesta básica registrou aumento de 8,89% em relação a setembro. No mês anterior, a cesta custava R$ 365,08 e neste mês o custo passou para R$ 397,53. Em comparação a outubro de 2019, também se percebe elevação, com a variação de 30,94%.

Com este aumento, os chapecoenses passam a precisar de 0,38 salário mínimo para adquirir a cesta básica, que em setembro equivalia a 0,35 salário mínimo.

Etiquetas

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios