DestaquePolícia

Polícia Civil põe fim a venda de produto de “emagrecimento” que pode causar danos a saúde

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia de Guaraciaba, indiciou uma pessoa e concluiu inquérito policial que investigava a venda de produto irregular que ocorria no Município de Guaraciaba.

As investigações iniciaram após denúncia anônima recebida pela Vigilância Sanitária do Município.

Durante as investigações, apurou-se que uma pessoa fazia a venda irregular de produto, que prometia emagrecimento, e que não era registrado perante a Anvisa.

A substância era oferecida à venda por meio da internet, em anúncios veiculados em redes sociais e outros meios de comunicação.

Com base nas informações produzidas durante as investigações, uma pessoa suspeita foi identificada, sendo cumprida busca e apreensão no imóvel desta, com autorização do Poder Judiciário e parecer do Ministério Público. Na ocasião foram localizados e apreendidos amostras do produto objeto da investigação.

A pessoa suspeita confirmou a venda do produto e afirmou não ter conhecimento da proibição da comercialização.

Apurou-se que o produto exposto à venda poderia causar reações adversas e até mesmo a morte do usuário, pois substâncias como “Sibutramina” e alguns ansiolíticos (entre eles, “Clordiazepóxido”) foram detectados no produto, os quais não constavam no rótulo deste.

A investigação contou com o apoio da Vigilância Sanitária do Município de Guaraciaba e do Instituto Geral de Perícias.

A venda de produtos terapêuticos ou medicinais, ou outros, sem o devido registro nos órgãos competentes podem caracterizar crime contra a saúde pública e/ou crime contra as relações de consumo, podendo chegar à pena máxima de 15 (quinze) anos.

A Polícia Civil alerta à população para que não consuma produtos terapêuticos ou afins sem a orientação de um médico ou farmacêutico.

Produtos semelhantes ao encontrado no Município de Guaraciaba causaram a morte de uma pessoa no Estado de Santa Catarina. (Informações Polícia Civil). 

Etiquetas

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios