Destaque

PJSC implanta ferramenta para evitar perdas: Mapa de Riscos nas Contratações Públicas

Para evitar o desperdício dos recursos públicos e maximizar o desempenho organizacional, com melhores resultados em benefício da sociedade, o Poder Judiciário de Santa Catarina (PJSC) implanta o Mapa de Riscos das Contratações Públicas, criado pelo Programa de Gestão de Riscos das Contratações Públicas da instituição. A Diretoria de Material e Patrimônio (DMP) passará a adotar a nova ferramenta para todos os processos de contratação nos próximos meses.

O documento tem a intenção de alertar os gestores envolvidos, nas diversas etapas de uma contratação pública, dos riscos a que estão submetidos e oferecer os melhores caminhos para reduzi-los. Foram elencados todos os possíveis riscos nas três fases de uma contratação pública: planejamento da contratação, seleção do fornecedor e gestão do contrato.

O Mapa de Riscos aponta as condutas adotadas por todos os envolvidos no processo de contratação: equipe de planejamento, gestores e alta administração. A finalidade é dar publicidade às práticas e identificar os riscos com a definição de ações de mitigação ou contingência, além de indicar os responsáveis. Instrumentos de “compliance” já são adotados no processo de contratação e são voltados à redução dos riscos.

“O próximo passo deste programa é a indicação de um gestor de riscos em processos de planejamento de contratações inéditas ou complexas. Esse servidor vai compor a equipe de planejamento da contratação e atuará desde a fase de planejamento até a entrega do objeto contratado. Ele também terá como atribuição a identificação de riscos específicos a que poderá estar submetida a administração, estabelecendo ações de mitigação e contingência”, destaca a diretora de Material e Patrimônio, Graziela Cristina Zanon Meyer Juliani.

Desde então, a iniciativa era obrigatória somente nos processos de contratação de soluções de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), de acordo com a Resolução n. 182/2013, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O gerenciamento de riscos, para as demais contratações, não é compulsório para a administração pública estadual. Apesar disso, a boa prática é adotada na administração pública federal e prevista em instrução normativa do Ministério do Planejamento.

A partir de agora, todos os processos de contratação da DMP deverão indicar no projeto básico que o Mapa de Riscos Gerais foi realizado pelo PJSC. “Pretende-se, mais adiante, a capacitação dos gestores, fiscais e integrantes das equipes de planejamento da contratação, com o apoio da Academia Judicial”, acrescenta a diretora. (Assessoria de Imprensa/NCI).

Receba Notícias no seu WhatasApp?
Clique no link: https://chat.whatsapp.com/J4WlEehakUP9cOsnsHJ4Ng

 

Etiquetas

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios