Pequenos negócios criaram, em julho, 95% das vagas de trabalho em todo país

IMAGEM Ilustrativa

Os pequenos negócios geraram 95% dos empregos em todo o país no mês de julho deste ano. Conforme levantamento do Sebrae, baseado em dados do Caged, o saldo positivo de postos de trabalho foi de cerca de 41,5 mil vagas com carteira assinada. No total, reunindo os números das médias e grandes corporações e os da Administração Pública, foram criados 43,8 mil empregos formais celetistas no Brasil. Santa Catarina liderou a geração de empregos entre os Estados do Sul, com 2.420 novas, o que colocou o Estado na quarta posição no ranking, atrás de São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso.

De acordo com o diretor superintendente do Sebrae/SC, Carlos Henrique Ramos Fonseca, os números são mais uma prova da força dos pequenos negócios no desenvolvimento econômico do país. “As micro e pequenas empresas são fundamentais nesse processo de retomada da economia, já que são a maioria na geração de emprego e renda. Por isso, trabalhamos cada vez mais para promover a melhoria do ambiente de negócios e da competitividade dessas empresas”, comenta. 

No acumulado dos sete primeiros meses de 2019, as micro e pequenas abriram 437,6 mil vagas, 2,4% acima do registrado pelo setor no mesmo período do ano passado. O total de vagas abertas pelos pequenos negócios é 50 vezes maior que o saldo de empregos gerados pelas médias e grandes empresas neste ano. Puxaram esse saldo positivo os pequenos negócios do setor de serviços, com 20 mil postos de trabalho, tendo destaque o ramo imobiliário (15,2 mil). Em seguida vem as micro e pequenas empresas da construção civil, com a geração de 14 mil novas vagas.

No acumulado de janeiro a julho deste ano, os pequenos negócios do setor de serviços também se destacam na geração de empregos, sendo responsáveis pela criação de 273,1 mil novos postos de trabalho, 62,4% do total de postos criados por esse nicho de empresas no período. Já as MPE ligadas ao comércio continuam registrando saldo negativo de emprego, com o fechamento de 44,1 mil vagas, o que significa que mais demitiram do que contrataram nos primeiros sete meses de 2019. (Fonte: Sebrae/SC).