DestaqueEsportes

#PedeA24: Chapecoense abraça o movimento

Motivada a dar a volta por cima dentro de campo, a Chapecoense também entrou na briga para virar outro jogo: o contra a homofobia e contra o preconceito. Sabendo da importância de quebrar tabus e romper paradigmas – e ciente do seu poder de influenciar pessoas a assumirem atitudes positivas e, cada vez mais, a levantar a bandeira pelo respeito – o clube assume, a partir de hoje, o seu apoio oficial à campanha nacional “Pede a 24”.

O movimento – que tem, como principal objetivo, desconstruir o tabu do futebol que associa o número 24 a homossexuais de forma pejorativa – foi lançado pela Revista Corner, que publicou um manifesto assinado pelo jornalista Mauro Beting. A causa – que já vinha sendo apoiada por clubes como Bahia, Corinthians e Fluminense através da hashtag #NúmeroDoRespeito – ganhou ainda mais adeptos.

Em Santa Catarina, a campanha recebeu o apoio da Federação Catarinense de Futebol e, logo, os principais clubes do estado sinalizaram de forma favorável ao movimento. Na Chapecoense, quem pediu a 24 foi o atleta Alan Ruschel. O capitão do Verdão estreiará o novo número nesta quarta-feira (19), quando a equipe entra em campo para jogo decisivo contra o Boavista-RJ, válido pela primeira fase da Copa do Brasil. Ele seguirá com o 24 até o final da temporada.

Confira, abaixo, o manifesto escrito pelo jornalista Mauro Beting sobre o protagonismo de Alan Ruschel na campanha:

FOTO Divulgação/Revista Corner

Receba Notícias no seu WhatasApp?
Clique no link:  https://chat.whatsapp.com/IqM6dk1CKP9BPRhRZlDv3E 

 

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios