OPINIÃO: Não menosprezem a esquerda

ederboaro@yahoo.com.br

Por ter militado muitos anos na esquerda sei que acreditar que o PT esteja acabado pela derrota nas últimas eleições é um grande equívoco. Se existe algo que essa turma sabe fazer como poucos é lutar, recriar estratégias, se vitimizar e se reinventar com vistas ao poder. Vários exemplos ao longo da história atestam isso, mas, nesse exato momento, alguns fatores demonstram uma rearticulação dos petistas, que pode custar muito caro ao Brasil caso seja negligenciado pela população.

O principal pilar do ressurgimento da “estrela vermelha” vem do nordeste. A única região do país onde Fernando Haddad venceu as eleições servirá de reduto para uma tática de união e comando de territórios. A partir daí, tentará a retomada do poder. O condenado José Dirceu, por exemplo, é uma das linhas mestras desse processo. Atuando fortemente no maior reduto Lulista, ele vem sendo apontado dentro do partido como um dos gurus dos governadores locais, especialmente Fátima Bezerra do Rio Grande do Norte e Camilo Santana no Ceará. Outro petista que quer migrar para a região é o ex-Senador Lindbergh Farias, condenado pela justiça por improbidade administrativa, mas que está pavimentando sua candidatura a prefeito de João Pessoa na Paraíba, caso os tribunais lhe permitam.

Na outra ponta está a presidente do partido e deputada federal, Gleizy Hoffmann, que, após boicotar SUA PRESENÇA Na posse do presidente eleito democraticamente no Brasil, Jair Bolsonaro, por alegar crime contra a democracia, viajou a Caracas representando o PT na posse cenográfica do ditador Nicolas Maduro, demonstrando que o Foro de São Paulo, apesar de estar em frangalhos na América Latina, permanece vivo no sonho dos apaixonados pelo homofóbico e racista Che Guevara.

O plano de ressurgimento do PT vem apoiado por uma parte da grande imprensa brasileira, muito pela disseminação ideológica esquerdista que se propaga nos cursos de comunicação nas universidades, mas também pelo corte expressivo de verbas publicitárias feitas por Jair Bolsonaro. Qualquer pessoa com bom censo que comparar as manchetes atuais dos principais jornais brasileiros com os primeiros dias dos governos Lula e Dilma percebe que o Capitão está sendo atacado de forma demasiada e, em alguns casos, mentirosa, com ilações a criminosos inimagináveis aos governantes anteriores.

Esses quatro anos terão de ser de vigilância e reação por parte da direita e das pessoas que não querem novamente um país saqueado por corruptos, populista e irresponsável com as finanças, pois, além do PT, os partidos auxiliares do Lulismo farão o possível para que a tese de Goebbels seja comprovada no Brasil. A esquerda, para poder voltar ao poder, tentará nesses quatro anos fazer “uma mentira repetida mil vezes tornar-se verdade”…