OPINIÃO: Compras por impulso

Hoje no Brasil temos mais de 65 milhões de pessoas inadimplentes e com restrições de crédito, esse comportamento está relacionado ao déficit na educação financeira no país. Precisaria disseminar mais cursos, palestras, graduações e treinamentos para a população entender melhor sobre como lidar de uma maneira saudável com suas finanças.

Todo planejamento orçamentário deve começar pela renda, porém o que mais observamos são pessoas se endividando para depois ver se cabe dentro de seu orçamento. Minha dica é simples e infalível, faça uma análise de sua renda líquida, separe 10% para economizar e o restante encaixe os gastos que realmente precisa. Caso você chegue à conclusão que não ganha o suficiente para manter os gastos que tem, melhor rever, analisar e se for o caso baixar seu padrão de vida para se adequar a sua realidade.

O problema está geralmente na compra por impulso, onde as pessoas compram o que não necessitam, pagam o que não poderiam e muitas vezes nem se quer utilizam a compra, isso podemos chamar de consumismo puro. Autocontrole e autoconhecimento são palavras chaves, pois uma pessoa que conhece a si mesma e seus hábitos terá menor chance de fazer compras impulsivas.

Mais uma vez indico a planilha financeira para chegar ao tão sonhado equilíbrio financeiro. Na vida temos prioridades, não sendo diferente com nossas finanças, primeiramente é necessário conhecer os gastos de suas reais necessidades, como exemplo: alimentação, moradia, saúde, educação, depois vem os supérfluos, se encaixando tudo no seu orçamento mensal ótimo, porém, se sua renda não comportar é hora de definir os excessos e cortar os mesmos ou compensar com horas extras e novos rendimentos.

Ganhar R$ X e gastar R$X+1 jamais fechará a conta. “A humanidade precisa, antes de tudo, se libertar da submissão a slogans absurdos e voltar a confiar na sensatez da razão”. ¨ Ludwig Von Mises