DestaquePolítica

Municípios solicitam ao Estado mais recursos para a área de Assistência Social

O aumento das demandas na Assistência Social dos Municípios desde o início da pandemia do Coronavírus, levou representantes da Federação Catarinense de Municípios – Fecam e o Colegiado Estadual dos Gestores Municipais de Assistência Social – Coegemas a se reunirem com o secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli, nesta terça (1º).

Clique aqui e receba notícias de Chapecó e Região, do Brasil e do mundo pelo WhatsApp!

O grupo formado pelo presidente da Fecam e prefeito de Rodeio, Paulinho Weiss, pela 1ª secretária do Executivo da entidade e prefeita de São Cristovão do Sul, Sisi Blind, o presidente do Coegemas e secretário de Nova Itaberaba, Luan Maciel e outros representantes municipalistas conversou com o secretário sobre a possibilidade de novos repasses para a assistência social dos municípios. “Nós viemos fazer um apelo para o secretário para que, ainda no decorrer desse ano, pudesse alocar recursos tanto para manutenção dos serviços socioassistenciais, como em benefícios eventuais, porque temos essa demanda lá na ponta onde a população tanto necessita”, explica o presidente da Fecam.

Ouça o presidente da Fecam, Paulinho Weiss: https://drive.google.com/file/d/1pjg-RpWh93Mw92cCAqErAsoiA5onH6ok/view

Excepcionalmente neste ano, o Estado repassou aos municípios, para aplicação na Assistência social, duas parcelas de R$ 7,5 milhões cada, como recursos extraordinários. A solicitação municipalista é para que, considerando os recursos federais liberados para Estados e municípios para as políticas de Assistência Social e para a Saúde pela LC nº 173, o Estado libere da sua parte mais uma parcela de R$ 7,5 milhões para ser utilizada nos equipamentos do Sistema único de Assistência Social – SUAS, como Cras, por exemplo.

“O pedido se justifica porque houve um aumento significativo de famílias acessando os benefícios eventuais e serviços, para fortalecimento de vínculos familiar e comunitários, em função do próprio isolamento social, que pode ser espaço protetivo, mas também de violação de direitos”, explica o presidente da Fecam, em ofício enviado ao secretário de Estado. ( Letícia Povoas/Fecam).

Etiquetas

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios