Polícia

Marido que matou esposa e escondeu corpo no armário é condenado a 28 anos

O primeiro de uma série de três júris sobre casos de possíveis feminicídios condenou Pedro Fávero, acusado de matar a esposa Fabiana Diavan Fávero, 37 anos, no dia 4 de julho de 2017. A sessão de julgamento aconteceu nessa sexta (29), no fórum da comarca de Chapecó. No total, a sentença foi de 28 anos e quatro meses de reclusão, em regime fechado, e seis meses de detenção em regime semiaberto. A ele foi negado o direito de recorrer em liberdade e, como estava preso preventivamente desde o crime, permanece no Presídio Regional de Chapecó.

A sessão se estendeu por mais de 14 horas. Os jurados, quatro mulheres e três homens, reconheceram as qualificadoras de feminicídio, motivo fútil, meio cruel e uso de recursos que dificultaram a defesa da vítima, para o crime de homicídio (24 anos). O acusado também foi condenado por ocultação de cadáver (um ano), fraude processual (seis meses), furto qualificado (um ano e quatro meses) e porte ilegal de arma de fogo (dois anos). O réu foi absolvido pelo crime de posse irregular de munição de uso restrito.

Interrogatório

Após aproximadamente quatro horas de oitivas de 17 testemunhas arroladas durante o processo, chegou o momento de ouvir o réu. Foram mais de uma hora de perguntas direcionadas ao acusado. Ele contou como aconteceu o crime. A discussão teria sido motivada por ciúmes, já que ela revelou desejo de separação e o envolvimento amoroso com outro homem. Ao final, ele se disse arrependido e pediu desculpas à sogra, ao filho e à família dele. Todos estiveram presentes durante toda a sessão.

A defesa foi feita pelo advogado Alexandre Santos Correia Amorim. Como representante do Ministério Público esteve a promotora de justiça Cândida Antunes Ferreira. O assistente de acusação foi o advogado Wilson Gerhard. O júri foi presidido pelo juiz Jeferson Osvaldo Vieira.

Manifestação

As duas irmãs, a mãe e o filho da vítima usaram camisetas com a foto da mulher. Abaixo continha a frase “Quem ama não mata!”. Outros parentes e amigos também vestiram a camiseta em forma de manifestação. Na frente do fórum foram colocadas faixas pedindo Justiça pela vítima e por todas as mulheres.

O crime

De acordo com a denúncia apresentada, o empresário é acusado de desferir golpes de faca no lado esquerdo do peito e no pescoço da esposa, com quem era casado há 18 anos. Conforme apurado, o crime teria acontecido por volta das 18h do dia 4 de julho de 2017. O corpo foi encontrado por familiares aproximadamente às 12h do dia seguinte, dentro de um armário onde o homem guardava armas.

Ainda segundo informações dos autos, o acusado fugiu utilizando o veículo de um cliente que estava no estacionamento que mantinha com a esposa, próximo ao aeroporto da cidade. No Paraná, ele se envolveu em um acidente e abandonou o carro. Procurou abrigo na casa de amigos na cidade paranaense de Guaíra. Depois de 30 horas de negociação com a polícia, ele concordou em comparecer à delegacia. (Informações TJSC/Elizandra Gomes/NCI Oeste).

Quer receber Notícias como esta no seu WhatasApp?
Clique no link: https://chat.whatsapp.com/IqM6dk1CKP9BPRhRZlDv3E 

 

Etiquetas

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios