DestaqueEconomia

Lojistas catarinenses estão otimistas

O comércio varejista catarinense é um dos que mais crescem no Brasil. Em setembro deste ano, último dado disponível, a alta no volume de vendas chegou a 8,1% no acumulado de 12 meses.

De acordo com o economista da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio-SC), Luciano Córdova, entre os segmentos que tiveram melhor desempenho no período de setembro de 2018 a setembro de 2019 estão equipamentos para material de escritório, informática e comunicação e combustíveis e lubrificantes. Por outro lado, livros jornais e revistas apresentam forte queda em seu volume de vendas.

Segundo o presidente da entidade, Bruno Breithaupt, em uma perspectiva mais ampla, as vendas estão em níveis próximos aos períodos imediatamente anteriores à crise econômica. “O comércio já superou seus piores momentos, vividos em 2016 e 2017. Porém, desde o início de 2019, as vendas diminuíram o ritmo de crescimento e a recuperação parece ter atingido o limite que poderia, dadas as condições da economia”, analisou.

Ele acredita que para que o comércio varejista continue se expandindo são necessárias medidas de estímulo ao mercado interno. “O desemprego ainda está elevado e precisa ser reduzido; a renda permanece estagnada; e o crédito está se recuperando de maneira lenta. 

Atacar esses problemas nos próximos meses, por meio da redução dos juros e estímulos ao investimento produtivo, é fundamental para o crescimento do comércio não somente nos próximos meses, mas nos próximos anos.”

A recuperação da economia mostra que, muito embora esteja crescendo em um ritmo mais lento do que o esperado, deve melhorar agora no último trimestre do ano. Juros em queda, abertura de postos de trabalho, ainda que puxado pela informalidade, e melhora no índice de confiança dos empresários do ramo contribuem para essa percepção. A observação é do assessor Institucional da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL-SC), João Carlos Dela Roca. Ele revelou que uma pesquisa de expectativa de vendas, 66% dos lojistas acreditam que haverá uma melhora no próximo Natal em relação ao de 2018.

Outro dado que ele destaca como positivo é a liberação de recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Neste caso são dois os efeitos: uso desses valores para compras de final de ano ou para negociar o pagamento de dívidas para limpar o nome do consumidor. 

“Com certeza a possibilidade de voltar a comprar em parcelas vai aquecer as vendas. Um levantamento feito no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) mostra que 72% das dívidas são de valores até R$ 500,00”, apontou Dela Roca.

Os preferidos

Também de acordo com pesquisa, espontânea, o segmento de vestuário mantém a posição como o mais movimentado para as vendas de natal. A expectativa é que 31% das vendas para a data mais importante para o comércio sejam de vestuário. Na sequência vêm calçados (12,24%) e joias e acessórios (11,22%), brinquedos (7%) e smartphones (5%). O índice restante é diluído entre outros produtos. O gasto médio é projetado com uma pequena alta, devendo ficar em torno de R$ 150,00 por presente. Para dar conta do movimento maior trazido pelo Dia das Crianças, Black Friday e pelo Natal, os entrevistados afirmaram que vão contratar trabalhadores temporários.

Um em cada quatro empresários pretende ampliar o quadro de funcionários entre outubro de 2019 e fevereiro de 2020, conforme aponta a pesquisa Trabalhadores temporários no comércio – Temporada de Verão de 2020, realizada pela Fecomércio-SC com 400 empresas nas cidades de Florianópolis, Itajaí, Blumenau, Joinville, Criciúma, Lages e Chapecó.

Por mais que o ritmo da retomada da economia seja lento, o que se reflete em um comportamento conservador no consumo, o levantamento feito pela FCDL-SC mostra que 84,18% dos comerciantes acreditam que 2020 será um ano melhor que em 2019.

O presidente da FCDL-SC, Ivan Tauffer, também está otimista as iniciativas promovidas até aqui pelo governo federal. Mas alerta:

“Só estaremos pavimentando uma estrada segura para um futuro mais produtivo se essas medidas  forem verdadeiramente acompanhadas de contenção de gastos públicos e investimentos em infraestrutura.”

Comércio varejista

Variação do volume e receita nominal de vendas (%) Setembro 2019

Variação mês

(mês anterior com ajuste sazonal)

Índice de volume de vendas

Brasil ———————– 0,7

Santa Catarina —————- 1,7

Índice de receita nominal 

Brasil ———————–  0,7

Santa Catarina —————- 1 ,6

Variação mensal

(Base: igual mês do ano anterior)

Índice de volume de vendas

Brasil ———————–  2,1

Santa Catarina —————- 9,6

Índice de receita nominal 

Brasil ———————— 3,5

Santa Catarina —————  10,9

Variação acumulada no ano

(Base: igual período do ano anterior)

Índice de volume de vendas

Brasil ———————— 1,3

Santa Catarina —————   8,0

Índice de receita nominal 

Brasil ———————–   4,6

Santa Catarina —————- 11,2

Variação acumulada de 12 meses

Índice de volume de vendas

Brasil ———————–    1,5

Santa Catarina —————-   8,1

Índice de receita nominal 

Brasil ———————— 5,1

Santa Catarina —————   11,7

Por Andrea Leonora/Pelo Estado

Etiquetas

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios