Líderes fazem balanço dos primeiros seis meses de atividades na Alesc

FOTO Solon Soares/Agência AL

Líderes da Assembleia Legislativa de Santa Catarina fizeram um balanço do primeiro semestre das atividades, encerrado na última semana. Para eles, apesar dos temas complexos que o Parlamento estadual tratou no período, o resultado foi positivo, com a tramitação rápida de projetos relevantes para o estado.

Para o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Julio Garcia (PSD), o primeiro semestre encerrou com uma grande contribuição de todos os 40 parlamentares para a sociedade catarinense. “Os temas macro que vieram para Alesc, como a prorrogação dos decretos, a reforma administrativa e, agora no encerramento, a revisão dos incentivos fiscais, foram debatidos e decididos soberanamente, com a participação de todos os parlamentares que deram sua contribuição. Encerramos bem o primeiro semestre e queremos continuar assim por todo mandato. Um parlamento forte ajuda a sociedade.”

O 1º vice-presidente da Alesc, deputado Mauro de Nadal (MDB), afirmou que a nova legislatura, com 22 deputados em primeiro mandato, e o novo governo, impuseram ao Legislativo um período de grandes desafios. Para ele, os projetos dos incentivos fiscais e a reforma administrativa do Executivo, embora complexos, tiveram um bom encaminhamento, graças ao diálogo entre governo e parlamentares.

“Foi um semestre positivo. A Casa deu agilidade ao trâmite dos projetos importantes para Santa Catarina. Os deputados deram uma resposta positiva às demandas”, afirmou. “No caso da reforma administrativa, após inúmeras reuniões e boas conversas, convergimos para um projeto que atendesse o catarinense e contemplasse a proposta vitoriosa nas eleições.”

Líder do Bloco Social-Democrático, o deputado Milton Hobus (PSD) classificou o semestre como positivo, apesar dos temas controversos que foram debatidos. Ele destacou o avanço com a aprovação dos projetos dos benefícios fiscais. “O PSD tomou a posição que sempre teve: não é pelo aumento da carga de imposto que se resolve os problemas do Estado.”

Hobus também destacou a atuação do presidente da Casa, deputado Julio Garcia (PSD), que agiu com transparência e estabeleceu a harmonia necessária dentro da Assembleia e entre os poderes, “criando o ambiente para fazermos um trabalho produtivo.”

Diálogo

O líder do governo na Alesc, deputado Mauricio Eskudlark (PL), afirmou que o semestre foi altamente positivo para o governo e para o Parlamento. “Era um governo novo, não se sabia como seria a administração, mas cada ato do governo foi mostrando transparência”, comentou.

“O diálogo com a Assembleia foi muito transparente, com a presença constante dos secretários. A Alesc também deu sua contrapartida. Com isso, não houve conflitos e isso foi bom para o catarinense”, completou.

Líder do PT, Fabiano da Luz afirmou que o primeiro semestre tratou de questões importantes, como o duodécimo dos poderes, os benefícios fiscais, a reforma administrativa e a proibição da exploração do xisto.

“Foi uma nova postura da sociedade, com a visão dos novos políticos que aqui chegaram. Todos tivemos que nos adaptar a essa nova realidade”, disse. “Tivemos que trabalhar com algumas intolerâncias que não se tinha na Casa, alguns extremos. Foi um semestre de aprendizado, de agito, mas também um momento em que a Casa cresceu muito, pelos resultados das votações dos projetos.”

Ricardo Alba, do PSL, destacou a união dos parlamentares do partido na defesa do governo estadual e dos interesses de Santa Catarina. “Fizemos debates de temas relevantes para o desenvolvimento e demos suporte a ações do governo, além de atendermos as demandas municipalistas”, afirmou Alba, que destacou o repasse de recursos para os hospitais filantrópicos pelo Executivo, no valor de R$ 190 milhões.

Líder do bloco parlamentar PP-PSB-PV-PRB, o deputado Nazereno Martins (PSB) destacou que a reforma administrativa e as discussões sobre os incentivos fiscais e o duodécimo dos poderes “foram de grande valia para o Estado”. “Foi um trabalho ágil, importante para Santa Catarina”, resumiu.

A deputada Paulinha (PDT) afirmou que ela e seu colega de partido, deputado Rodrigo Minotto, defenderam pontos importantes, como as bolsas de estudo artigo 170 e projetos na área da saúde e na proteção da mulher. Ela também destacou a celeridade da Assembleia na análise dos projetos relevantes como um ponto positivo do semestre.

“Nosso partido contribuiu na aprovação da reforma e dos projetos dos incentivos fiscais”, disse. “Sentimos que contribuímos para que as decisões sejam tomadas de forma mais célere.”

Debate sério e de alto nível

Representante do PSDB, Dr. Vicente Caropreso acredita que a Alesc proporcionou um debate sério e de alto nível em temas importantes para o estado, como a reforma administrativa. “Isso vai contribuir bastante para sanar as finanças do estado. A Assembleia cumpriu o seu papel e tenho convicção que isso vai impactar positivamente na vida dos catarinenses.”

O parlamentar também destacou a atuação da comissão que preside (de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência) que no primeiro semestre reuniu mais de 16 mil pessoas em eventos realizados em todo o estado e voltados à inclusão da pessoa com deficiência.

O deputado Jair Miotto (PSC) afirmou que a Assembleia cumpriu uma agenda positiva, diante das incertezas sobre o novo governo e a composição renovada do Parlamento e da expectativa por mudanças, expressa no resultado das eleições no ano passado.

“Creio que a Assembleia conseguiu dar uma resposta ao cidadão e mostrou a sociedade que essa legislatura se importa em fazer o melhor pelo estado”, disse. “Mesmo diante da incerteza com as novidades, conseguimos garantir a estabilidade para que o estado se desenvolva.”

Marcius Machado (PL) comentou que a Assembleia votou temas importantes, com impactos em vários setores da sociedade, principalmente na economia, com os benefícios fiscais. “Foi um aquecimento para esses quatro anos, que será um período de grande produtividade”, disse.

Para Ivan Naatz, do PV, o novo governo e a nova composição da Alesc conseguiram oferecer bons resultados a Santa Catarina. “Traçamos aquilo que planejamos e no segundo semestre a pauta segue recheada de boas propostas para melhorar a vida dos catarinenses, que é o nosso objetivo principal”, declarou. (Com informações de Claúdia Alves, da TVAL – Marcelo Espinoza/Agência AL)