DestaquePolítica

Jorginho Mello apresenta projeto para facilitar prova de vida aos beneficiários do INSS

O senador Jorginho Mello (PL/SC) apresentou um projeto de lei (PL 385/2021) ao Senado Federal que tem como objetivo facilitar a prova de vida aos beneficiários do Instituto Nacional de Seguridade Social.

Clique aqui e receba notícias de Chapecó e Região, do Brasil e do mundo pelo WhatsApp!

A iniciativa visa possibilitar que os médicos comprovem a vida dos beneficiários através de um atestado, enviando o documento ao sistema eletrônico do INSS. Para isso, de acordo com o projeto do senador, basta o aposentado ou pensionista solicitar a prova de vida por meio dessa modalidade.

O senador catarinense aponta ainda que a atribuição dada aos bancos traz uma série de dificuldades para os beneficiários, que vão desde a necessidade de locomoção, gastos desnecessários e mesmo riscos à segurança.

“A prova de vida é um drama para a maioria dos idosos e também aos beneficiários dos regimes próprios. Neste momento de pandemia, são submetidos a longas filas, aglomerações, gente sem máscara, golpistas em portarias das agências financeiras. Ficam sujeitos também a insistência de ofertas de crédito consignado por parte de alguns bancos”, lamenta Jorginho Mello.

Ainda conforme a proposta, caso não haja um médico na localidade de quem fez o requerimento, a prova de vida pode ser comprovada através do preenchimento e entrega de um formulário padrão do INSS, assinado por duas testemunhas, e enviado em agências lotéricas ou agências dos Correios. E, nos municípios nos quais não houver médicos, outras autoridades poderão dar a prova de vida aos cidadãos da localidade, assumindo responsabilidade pelos seus atos. Ascom Senador

 

Etiquetas

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios