Inflação oficial fecha 2018 em 3,75%

2041
Altas em alimentos e bebidas, habitação e transportes fizeram o índice subir mais que em 2017 (FOTO: Reinaldo Canato/VEJA.com)

inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou 2018 em 3,75%. O índice é usado como inflação oficial pelo governo e foi divulgado nesta sexta-feira, 11, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A inflação ficou dentro da meta estabelecida para o ano, que era de 4,5% com percentual de variação de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos. Em 2017, o índice havia fechado em 2,95%.

O que mais impactou a inflação de 2018 foram os grupos de alimentos e bebidas,  com 4,04% de alta, habitação (4,72%) e transportes (4,19%).

Segundo o IBGE, os alimentos tiveram maior peso este ano por conta de queda da safra e pega greve dos caminhoneiros, no fim de maio. “Alimentação e Bebidas teve o maior impacto no ano por ter um grande peso nas despesas das famílias. O que mais influenciou nessa alta foi o grupo dos alimentos para consumo dentro de casa. Dentro dele o que influenciou foi o tomate, com variação de 71,76% e as frutas, com 14,10%”, disse Fernando Gonçalves, gerente da pesquisa.

No caso dos outros setores, pesou a alta da energia elétrica (8,7%) e a gasolina (7,24%).

Em dezembro, o IPCA registrou inflação de 0,15%, taxa maior que a de novembro, que teve deflação de 0,21%. Porém, esse é o melhor resultado do mês desde 1994.

Em dezembro de 2017, o indicador havia registrado inflação de 0,44%.

O IPCA indicador monitora o comportamento mensal dos preços para famílias com renda de entre um salário mínimo (954 reais em 2018) e 40 salários mínimos (38.160 reais) por mês. O IBGE atribui pesos diferentes para cada item, segundo a importância que tem no orçamento dos brasileiros. (As informações são da VEJA)

A inflação anual
Variação acumulada no ano desde o início do sistema de metas