Economia

Inflação da baixa renda começa 2020 com desaceleração

A alta menor dos preços dos alimentos aliviou a taxa de inflação para as famílias de baixa renda neste início de ano. Segundo dados divulgados nesta quarta (5) pela Fundação Getulio Vargas (FGV), o IPC-C1, que calcula a inflação para famílias com renda entre um e 2,5 salários mínimos, ficou em 0,55% em janeiro – abaixo dos 0,93% de dezembro.

A taxa também é menor que a variação de 0,59% registrada no mesmo período pelo IPC-Br, que mede a alta de preços para famílias com renda de um a 33 salários mínimos mensais. No acumulado em 12 meses, no entanto, a inflação para as famílias de baixa renda segue maior que a do conjunto da população: 4,55%, ante 4,13% do IPC-Br.

A carne bovina, que vinha pressionando o custo de vida nos últimos meses, teve queda de 2,27%, após alta de 11,78% em dezembro, e contribuiu para a menor alta de preços do grupo alimentação – cuja taxa recuou de 3,08% em dezembro para 0,83% no mês passado. Apesar da alta menor em alimentação, o tomate exerceu a maior influência de alta sobre o IPC-C1 em janeiro, ao subir 19,68%.

Também ficaram menores na mesma comparação as taxas dos grupos despesas diversas (de 1,40% em dezembro para 0,16% em janeiro), vestuário (de 0,46% para -0,24%), transportes (de 0,82% para 0,50%) e saúde e cuidados pessoais (de 0,31% para 0,29%).

Em sentido contrário, ganharam força as taxas de habitação (de -0,96% para 0,37%), educação, leitura e recreação (de 0,10% para 2,48%) e comunicação (de 0,02% para 0,15%). Destaque para as acelerações registradas em tarifa de eletricidade residencial (de -5,40% para 0,86%), cursos formais (de zero para 5,07%) e mensalidade para TV por assinatura (de -0,57% para 1%). (Fonte G1).

Receba Notícias no seu WhatasApp?
Clique no link:  https://chat.whatsapp.com/IqM6dk1CKP9BPRhRZlDv3E 

 

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios