DestaqueEconomia

Indústria puxa retomada em 2020, mas reformas e controle fiscal condicionam crescimento em 2021

A indústria de Santa Catarina puxou a retomada da economia em 2020, principalmente a partir de agosto, e tem registrado desempenho superior à média brasileira em muitos indicadores, destacou o presidente da Federação das Indústrias (Fiesc), Mario Cezar de Aguiar. Ele conversou com jornalistas, na quarta (9), e salientou que a indústria catarinense liderou a retomada do emprego. As vagas fechadas de março a maio foram recuperadas no período de junho a outubro e no acumulado do ano até outubro o setor de transformação e a construção civil registram saldo positivo de 33,6 mil vagas. “A resiliência do industrial catarinense e as medidas governamentais permitiram uma recuperação muito mais rápida do que se esperava no início da pandemia”, afirmou Aguiar.

Clique aqui e receba notícias de Chapecó e Região, do Brasil e do mundo pelo WhatsApp!

Ele ressaltou que a recuperação ocorre em diferentes velocidades entre os setores, mas, no geral, a indústria apresenta taxas de crescimento maiores do que as demais atividades. “Um conjunto de fatores explica esse comportamento, como a adaptação aos protocolos de segurança, rápida retomada da atividade industrial e o auxílio de medidas do governo federal, como a MP 936, que teve grande aderência por parte da indústria catarinense, que firmou 363 mil acordos. Esse número corresponde a 43,5% do total de acordos do estado”, explica.

Dados do Observatório Fiesc mostram o elevado nível de confiança do industrial catarinense que alcançou 66,5 pontos em novembro (a média do país foi 62,9 pontos) e a maior intenção de investir da série histórica, com 74 pontos em setembro, contra 59,3 pontos da média nacional. “A rápida retomada do consumo e da economia como um todo surpreenderam o industrial que precisou fazer rápidos ajustes para a retomada da produção. O efeito dessa recuperação repercutiu no maior índice de intenção de investir de toda a série histórica da pesquisa para Santa Catarina”, observa Aguiar, lembrando que, por outro lado, a surpreendente retomada desorganizou cadeias produtivas e trouxe desafios como falta de matérias-primas e pressão nos preços.

O faturamento é outro indicador que apresenta setores com recuperação, como é o caso de alimentos e bebidas que cresceu (23,4%) de janeiro a outubro na comparação com o acumulado de 2019, conforme dados da Secretaria da Fazenda. No mesmo período, outras atividades registraram expansão, como equipamentos elétricos (17,8%), madeira e móveis (7,3%), celulose e papel (7,9%) e fármacos e equipamentos de saúde (33,6%). “A análise mostra que, como consequência das medidas de isolamento social, o padrão de consumo da população brasileira mudou. Aumentaram as compras de alimentos e bebidas e isso se refletiu nas vendas deste setor, que registrou o melhor desempenho entre os avaliados. Com a população passando mais tempo em suas casas, também cresceu o mercado de itens como eletrodomésticos e móveis e madeira”, disse o presidente da Fiesc.

O comércio exterior catarinense tende a fechar o ano negativo. De janeiro a novembro, as exportações registram queda de 9,4% e as importações diminuíram 9,1% em comparação com o mesmo período no ano passado. A alta do dólar, a crise do coronavírus no mundo e as distorções nos preços ocasionados pelo descompasso entre demanda e oferta de diferentes setores foram as principais causas para o resultado. Ainda assim, observa-se certa constância nos setores exportadores tradicionais, com expansão das vendas externas de suínos e madeira e móveis.

“Apesar de a indústria caminhar para a recuperação das perdas por conta da pandemia, há desafios no horizonte que exigem cautela para manter o nível de crescimento em 2021, como o controle do endividamento público, o reequilíbrio do fornecimento de insumos, as reformas estruturantes, o fim do auxílio emergencial e a demora para a chegada da vacina”, observa Aguiar. 

Pontos de atenção que vão influenciar no crescimento em 2021

Fim do auxílio emergencial: não está claro qual será o impacto do fim do auxílio emergencial no consumo e se a economia terá condições de manter a taxa de crescimento sem ele. Por isso, os fatores listados abaixo serão fundamentais:

Controle de endividamento público: o controle dos gastos públicos é uma condição importante para manutenção do fator de risco de investimento no Brasil, refletindo na manutenção da baixa taxa de juros.

Manutenção da baixa taxa de juros: uma baixa taxa de juros é condição necessária para um melhor acesso à crédito e estímulo de investimentos.

Reformas estruturantes: o avanço das reformas é condição fundamental para diminuir o grau de incerteza sobre a economia brasileira e iniciar uma trajetória de crescimento econômico mais sustentável.

Reequilíbrio do fornecimento de insumos: o reequilíbrio de fornecimento de insumos terá impacto nos preços, levando os valores para um nível normal de mercado e eliminando a falta de insumos em diferentes cadeias produtivas.

Demora para chegada da vacina: a chegada da vacina contra o coronavírus vai ser condição essencial para uma melhora da economia. Um dos importantes desafios está em construir uma estrutura de distribuição dela para a população. (Assessoria de Imprensa da FIESC).

 

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios