DestaquePolícia

Homem é condenado a 20 anos de prisão por matar a madrasta

O júri popular desta sexta (18), na comarca de Chapecó, condenou a 20 anos de prisão, em regime fechado, o acusado pela morte da madrasta, no dia 16 de setembro de 2017. A jovem de 16 anos vivia em união estável com o pai do agressor, há dois anos, no bairro Santo Antônio. O crime aconteceu na residência do casal, depois que o marido saiu para trabalhar. Ela foi morta com sete facadas na região do peito e uma no pescoço. O acusado foi preso alguns dias depois do crime. Por conta da condenação, retornou ao complexo prisional logo após o julgamento.

O conselho de sentença, formado por sorteio, foi composto por cinco homens e duas mulheres. Os jurados reconheceram as qualificadoras de emprego de meio cruel e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima. A sessão de julgamento foi presidida pelo juiz Jeferson Osvaldo Vieira. Na acusação esteve a promotora de justiça, Marta Fernanda Tumelero, com assistência de Vilmar Araújo de Souza. Na defesa, atuou o defensor público Rodrigo Scarpellini Gonçalves de Freitas (Autos n. 0009096-49.2017.8.24.0018).

Etiquetas

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios