DestaqueEconomia

Governo do Estado investe R$ 77,4 milhões em programas de fomento agropecuário

Em um ano repleto de desafios, Santa Catarina seguiu investindo na produção de alimentos e no fortalecimento do setor produtivo. A Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural destinou R$ 77,4 milhões para programas de fomento agropecuário, melhoria do processo do produtivo e apoio aos agricultores e pescadores. Foram quase 79 mil famílias beneficiadas em todo o estado.

Clique aqui e receba notícias de Chapecó e Região, do Brasil e do mundo pelo WhatsApp!

“A Secretaria da Agricultura mantém vários programas para apoiar os produtores rurais e pescadores de Santa Catarina, facilitando o acesso a recursos para que eles possam investir em melhorias do sistema produtivo ou agregação de valor. Os recursos são colocados à disposição do produtor através do Fundo de Desenvolvimento Rural, com financiamentos sem juros ou auxílio no pagamento de juros e também pelo Programa Terra Boa, que incentiva o aumento de produtividade nas lavouras de Santa Catarina. Os agricultores e pescadores encontram no Governo do Estado um grande apoiador para seguir investindo e produzindo alimentos”, destaca o secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Ricardo de Gouvêa.

Além da pandemia do coronavírus, os agricultores catarinenses enfrentaram os impactos de fenômenos climáticos extremos – como o tornado, que atingiu o estado em agosto, e a estiagem que se fez presente ao longo de todo o ano. Para apoiar os produtores rurais e minimizar os danos causados, a Secretaria da Agricultura criou novas linhas de crédito e disponibilizou R$ 43,5 milhões, com apoio da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc). Desse total, R$ 8,3 milhões já foram aplicados e 1.068 famílias rurais foram beneficiadas.

Fomento Agropecuário

Com o Fundo de Desenvolvimento Rural (FDR), agricultores e pescadores de Santa Catarina têm acesso a financiamentos sem juros para aumento da produtividade, melhoria do processo produtivo, agregação de valor, desenvolvimento da pesca e aqüicultura, aquisição de animais e kits de informática para jovens agricultores. Em 2020, foram R$ 19,7 milhões investidos e mais de 1.800 produtores rurais foram atendidos.

“O ano de 2020 foi um ano atípico e precisamos unir esforços e realocar os recursos para atender as situações emergenciais, como o ciclone bomba, o tornado e a estiagem. Alguns programas foram lançados via FDR para que agricultores e pescadores pudessem reconstruir suas estruturas perdidas ou amenizar os impactos da estiagem. E esse apoio foi fundamental para os produtores rurais de Santa Catarina”, ressalta Ricardo de Gouvêa.

Terra Boa

Ao longo de 2020, a Secretaria de Estado da Agricultura investiu cerca de R$ 51,4 milhões no Programa Terra Boa para apoiar a aquisição de sementes de milho, calcário, melhoria de pastagens, apicultura e cobertura do solo.

Com o Terra Boa, os produtores rurais têm uma oportunidade e um incentivo para aumentar a produtividade de suas lavouras. No último ano, a Secretaria da Agricultura apoiou a aquisição de 310 mil toneladas de calcário, 216 mil sacas de sementes de milho, 1.799 kits forrageira, 329 kits apicultura, 1.635 abelhas rainha e 248 kit solo saudável. Os produtores contam ainda com a assistência técnica da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) para melhor aplicação dos recursos.

Subvenção de juros

Outra linha de apoio aos produtores rurais é a subvenção aos juros dos financiamentos contratados junto às instituições financeiras. São cinco frentes de trabalho: Programa de Cobertura de Pomares, Irrigar, Menos Juros, Desenvolvimento da Pecuária de Corte e Armazenar.

Os programas contaram com R$ 6,3 milhões em recursos para pagamento de juros, beneficiando mais de seis mil famílias rurais. O apoio da Secretaria da Agricultura possibilitou o investimento de R$ 630 milhões no meio rural catarinense.

 

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios