Destaque

Governador sanciona reajuste para servidores da Segurança Pública

O governador Carlos Moisés sancionou na tarde desta quarta-feira (24), a lei que reajusta os vencimentos dos servidores ativos e inativos da Segurança Pública. Os reajustes serão aplicados em duas etapas, em janeiro e julho de 2022, e beneficiarão a Polícia Civil, Instituto Geral de Perícias, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar. Os maiores aumentos percentuais, de 33%, serão destinados às bases das carreiras. Os níveis mais altos terão acréscimo de 21%.

Clique aqui e receba notícias de Chapecó e Região, do Brasil e do mundo pelo WhatsApp

A medida vai beneficiar mais de 30.151 mil servidores, sendo 17.251 ativos e 12.900 inativos. A proposta, de autoria do governador, é resultado de diálogo com representantes das categorias dos servidores e foi aprovada por unanimidade pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc).

“A participação do Parlamento nesse processo foi fundamental. O reajuste alinha os vencimentos aos resultados alcançados nos últimos anos. Santa Catarina é considerado o estado mais seguro do Brasil pelo Centro de Liderança Pública e vem apresentando indicadores positivos na redução da criminalidade”, ressalta o governador.

A sanção ocorreu após reunião do governador com os comandantes-gerais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Dionei Tonet e coronel Charles Alexandre Vieira, o delegado-geral de Polícia Civil, Marcos Flávio Ghizoni Júnior, e o perito-geral do IGP, Giovani Adriano.

De acordo com os cálculos da Secretaria de Estado da Administração, o reajuste está adequado às disponibilidades financeiras do Tesouro do Estado. O custo estimado é de R$ 657 milhões para 2022 e de R$ 875 milhões para 2023 e 2024.

 

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios