Destaque

Golpe tira saque emergencial do FGTS da conta de quem tem direito

Baixar o aplicativo Caixa Tem para ter acesso ao saque emergencial do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e se deparar com a informação de que o CPF (Cadastro de Pessoa Física) já foi cadastrado é mais uma das fraudes digitais que alguns brasileiros estão enfrentando.

A representante de vendas Adriana Lombardo foi uma das vítimas deste golpe. Ao colocar o CPF no Caixa Tem, foi informada de que já havia uma conta em seu nome. Ao pedir uma nova senha, constatou que o e-mail cadastrado não era o seu, impedindo que entrasse no aplicativo por não ter a senha.

Clique aqui e receba notícias de Chapecó e Região, do Brasil e do mundo pelo WhatsApp!

Para tentar solucionar o problema, Adriana foi a uma agência da Caixa e descobriu que o valor de R$ 1.045 liberado de sua conta foi sacado por outra pessoa em um caixa eletrônico na Praia Grande, litoral de São Paulo.

A instituição disse que abriu uma contestação ao saque no dia 22 de setembro e que em 10 dias úteis o caso seria solucionado, mas Adriana segue sem a resolução do seu problema até o momento. Adriana afirma que vai à agência uma vez por semana desde então e sempre recebe a mesma resposta: que seu caso está em análise. A representante de vendas também fez reclamações na Ouvidoria do banco e no Reclame Aqui.

Alguns funcionários que me atenderam falaram que há casos que faz dois meses que [a vítima] está aguardando”, Adriana Lombardo

O advogado Paulo Massi também enfrentou o mesmo problema com o saque emergencial do FGTS. Um amigo o alertou sobre o golpe e, então, Massi decidiu realizar o cadastro para evitar ser uma das vítimas. Para sua surpresa, seu CPF já estava cadastrado, juntamente com um e-mail que desconhecia.

“Liguei para a Caixa, na Central de Atendimento e disseram que não podiam fazer nada [por telefone]”, afirmou Massi, contando que o próximo passo é ir até uma agência da instituição para tentar solucionar a questão. Na hora do cadastro, o Caixa Tem pede informações como CPF e e-mail, dados que são tornados públicos para funcionários públicos, que o caso de Massi.

Golpe tira saque emergencial do FGTS da conta de quem tem direito

Ao tentar realizar o cadastro no aplicativo Caixa Tem, os usuários recebem uma notificação de que o CPF já foi utilizado com um e-mail falso

  • Giuliana Saringer, do R7
Caixa não divulga número de fraudes registradas

Caixa não divulga número de fraudes registradas

Willian Moreira/ Futura Press/ Estadão Conteúdo – 06.10.2020

Baixar o aplicativo Caixa Tem para ter acesso ao saque emergencial do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e se deparar com a informação de que o CPF (Cadastro de Pessoa Física) já foi cadastrado é mais uma das fraudes digitais que alguns brasileiros estão enfrentando.

A representante de vendas Adriana Lombardo foi uma das vítimas deste golpe. Ao colocar o CPF no Caixa Tem, foi informada de que já havia uma conta em seu nome. Ao pedir uma nova senha, constatou que o e-mail cadastrado não era o seu, impedindo que entrasse no aplicativo por não ter a senha.

Para tentar solucionar o problema, Adriana foi a uma agência da Caixa e descobriu que o valor de R$ 1.045 liberado de sua conta foi sacado por outra pessoa em um caixa eletrônico na Praia Grande, litoral de São Paulo.

A instituição disse que abriu uma contestação ao saque no dia 22 de setembro e que em 10 dias úteis o caso seria solucionado, mas Adriana segue sem a resolução do seu problema até o momento. Adriana afirma que vai à agência uma vez por semana desde então e sempre recebe a mesma resposta: que seu caso está em análise. A representante de vendas também fez reclamações na Ouvidoria do banco e no Reclame Aqui.

“Alguns funcionários que me atenderam falaram que há casos que faz dois meses que [a vítima] está aguardando”

Adriana Lombardo

O advogado Paulo Massi também enfrentou o mesmo problema com o saque emergencial do FGTS. Um amigo o alertou sobre o golpe e, então, Massi decidiu realizar o cadastro para evitar ser uma das vítimas. Para sua surpresa, seu CPF já estava cadastrado, juntamente com um e-mail que desconhecia.

PUBLICIDADE

“Liguei para a Caixa, na Central de Atendimento e disseram que não podiam fazer nada [por telefone]”, afirmou Massi, contando que o próximo passo é ir até uma agência da instituição para tentar solucionar a questão. Na hora do cadastro, o Caixa Tem pede informações como CPF e e-mail, dados que são tornados públicos para funcionários públicos, que o caso de Massi.

FGTS e auxílio guiam poupança no melhor setembro da história

Por não conseguir acessar o aplicativo, Massi sabe que o dinheiro foi tirado de sua conta do FGTS, mas não como foi usado.

A Caixa não informou à reportagem quantos casos de fraudes no FGTS foram registrados, mas disse que colabora com os órgãos de segurança que atuam no combate aos crimes. Leia a nota enviada ao R7:

“A CAIXA informa que colabora com os órgãos de segurança que atuam no combate a fraudes no Saque Emergencial do FGTS e demais benefícios sociais e esclarece que informações sobre eventos criminosos são repassadas exclusivamente às autoridades policiais.

A CAIXA realiza, de forma estratégica e preventiva, monitoramento de casos suspeitos e bloqueia contas com indícios de fraude ou com inconsistências cadastrais para a verificação de informações.

Essa checagem está garantindo a preservação do direito ao saque de benefícios sociais por todas as pessoas que preenchem corretamente os critérios de elegibilidade e necessitam dos recursos do Auxílio Emergencial que é a maior operação de transferência de renda da história do país.

Os cuidados que os beneficiários devem ter para não serem vítimas de fraude estão disponíveis no endereço https://caixanoticias.caixa.gov.br/noticia/21501/auxilio-emergencial-saiba-mais-sobre-os-cuidados-para-evitar-golpes-e-fraudes.

Eventuais contestações de saques podem ser formalizadas pelo beneficiário diretamente em qualquer agência da CAIXA. Para os casos em que houver comprovação de saque fraudulento, o beneficiário será devidamente ressarcido”.

O que fazer em caso de fraude

O Procon-SP afirmou à reportagem do R7 que a segurança do aplicativo é de responsabilidade da Caixa e que, por isso, em casos de saque por terceiros, o consumidor deve ser ressarcido.

“Caso o consumidor tenha valores sacados sem a sua autorização, deve reclamar imediatamente junto ao banco. Se este não comprovar que o cliente fez o saque, o consumidor deve ser ressarcido. Se o banco recusar a devolução, o consumidor deve abrir uma reclamação no Procon”, afirma o órgão de defesa do direito do consumidor. (Fonte R7).

 

Etiquetas

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios