Política

Fecam e Governo do Estado tratam de pautas municipalistas

O presidente da Federação Catarinense de Municípios (FECAM), Saulo Sperotto, liderou comitiva em audiência com o governador, Carlos Moisés da Silva, nessa quinta-feira (13), na Casa da Agronômica, em Florianópolis. O encontro foi uma das primeiras ações da nova gestão da Federação, comandada pelo prefeito de Caçador e que tomou posse recentemente.

Para Sperotto, o diálogo com o governo do Estado é fundamental para aprimorar parcerias já existentes e trabalhar pautas em comum que impactam diretamente no desenvolvimento dos municípios catarinenses. “Queremos que o Estado seja cada vez melhor, produtivo e eficiente, e não pode ser diferente nos municípios. Temos diversos assuntos integrados e que precisam de trabalho em conjunto para defender os interesses do cidadão”, disse.

Além do presidente e do diretor executivo da FECAM, Rui Braun, participaram da reunião o presidente da Escola de Gestão Pública Municipal (EGEM), prefeito de Abdon Batista, Lucimar Antonio Salmória, o presidente do Consórcio de Informática na Gestão Pública Municipal (CIGA), prefeito de São Martinho, Robson Jean Back, a presidente do Consórcio Interfederativo Santa Catarina (CINCATARINA), Milena Andersen Lopes Becher, o diretor executivo do CIGA, Gilsoni Lunardi Albino, o representante da Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento (ARIS), Luiz Aurélio de Oliveira, e o coordenador de Desenvolvimento Econômico da FECAM, Alison Fiuza.

Pautas municipalistas

Junto com os representantes dos consórcios municipais, Sperotto apresentou pautas do municipalismo, entre elas, a preocupação com o impasse envolvendo auditores fiscais da Fazenda e o governo estadual. O alerta da Federação é para que a situação não venha afetar os serviços e se colocou à disposição para buscar saídas que não impactem na arrecadação de ICMS dos municípios. Nesta sexta-feira, o Tribunal de Justiça de Santa Catarina concedeu liminar que restabelece na Secretaria da Fazenda o direito dos fiscais de recebimento da indenização por uso de veículo próprio em atividades externas.

Outra preocupação da entidade diz respeito ao ICMS sobre o valor dos combustíveis. A proposta federal levantada pelo presidente, Jair Bolsonaro, de retirar o imposto do produto é vista com muita preocupação pela Federação. A medida poderá afetar diretamente os munícipios prejudicando a manutenção de serviços essenciais à população, à exemplo segurança, saúde e educação.

São 78% dos municípios de Santa Catarina que dependem entre 15% até 35% de suas receitas da transferência do ICMS. Com a retirada do imposto sobre combustíveis, a queda de repasse aos municípios será de aproximadamente R$ 1 bilhão ao ano. A diminuição desses recursos sem a compensação e reestruturação do modelo tributário nacional colocaria em risco serviços públicos.

A comitiva apresentou ainda seus anseios em relação a Reforma Tributária, tema que se arrasta desde o ano passado e que ainda não avançou. O Sistema FECAM apresentou ao governador a proposta de criação de um Grupo de Trabalho de acompanhamento a Reforma Tributária, temas do Pacto Federativo e royalties. O governo do Estado aceitou a proposição e a matéria será articulada entre Casa Civil e FECAM.

O impasse envolvendo os produtores de tabaco in natura de Santa Catarina também foi levantado pela Federação. O objetivo, segundo o diretor executivo da FECAM, é garantir a segurança fiscal desta cadeia produtiva, que movimenta um volume de R$ 1,3 bilhão no Estado, desempenha papel estratégico em muitos municípios e alcança cerca de 7 mil famílias. “Hoje essa cadeia que vende seus produtos em transações interestaduais enfrenta dificuldades pois a fiscalização estadual exige a emissão de nota eletrônica e a principal empresa compradora do produto somente aceita nota fiscal física, em face de um acordo de tratamento tributário diferenciado. Quem sofre são as famílias produtoras que têm ameaçada a venda do seu produto”, explica Braun.

O governador, Carlos Moisés, também reiterou a disposição do Governo em fortalecer as parcerias com os municípios e destacou algumas ações nesse sentido, como a nova política hospitalar e o Projeto Recuperar, que destina dinheiro público estadual para que os consórcios façam a intervenção nas rodovias. “Quem ganha com essa aproximação é o cidadão, porque ele vive no município. Todo o esforço é para ter municípios fortes. A FECAM e os consórcios são fundamentais”, afirmou o governador.

Ação imediata

Durante a reunião ficou definido a criação de um Grupo de Trabalho para tratar, em conjunto, das medidas que serão efetivadas em relação aos assuntos pautados. O objetivo é fortalecer e aprimorar a parceria para garantir a agilidade nas ações que irão beneficiar diretamente o municipalismo. (Fonte Fecam/Lá Via Comunicação).

Receba Notícias no seu WhatasApp?
Clique no link:  https://chat.whatsapp.com/IqM6dk1CKP9BPRhRZlDv3E 

 

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios