Polícia

Exame de DNA confirma autoria de crime de estupro

Uma ocorrência de estupro na cidade de Cunha Porã, Oeste catarinense, foi registrada em 10 de janeiro deste ano, ocasião em que um homem armado com um revólver abordou uma mulher que estava caminhando na rua e obrigou-a a entrar no veículo, levando-a até uma estrada no interior do município onde forçou-a a manter relações sexuais.

Clique aqui e receba notícias de Chapecó e Região, do Brasil e do mundo pelo WhatsApp!

Durante a investigação, a Polícia Civil conseguiu coletar elementos que levaram a prisão de um homem de 30 anos, morador de Maravilha (SC), como sendo o autor do crime.

Foi feita a coleta de material biológico do suspeito e encaminhado ao Instituto Geral de Perícias para confrontar com o DNA encontrado nas roupas da vítima, tendo o exame de DNA atestado que pertencia ao investigado preso pela Polícia Civil. O exame de DNA feito pelo IGP serviu para sepultar qualquer dúvida existente quanto a autoria delitiva e fortaleceu os inúmeros elementos que já haviam sido coletados pela Polícia Civil durante a investigação.

O investigado que continua preso, teve seu DNA inserido no Banco Nacional de Perfis Genéticos para que possa ser confrontado com investigações futuras e com casos ainda sem resolução.

O delegado João Luiz Miotto, responsável pela investigação, citou que o presente caso é um exemplo perfeito de como o Estado, por meio de seus órgãos, pode obter excelentes resultados quando os órgãos agem de forma integrada e unida.

Segundo Miotto, desde a comunicação do crime, a Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal atuaram em conjunto com a Polícia Civil, repassando as informações obtidas e auxiliando na coleta de dados da investigação realizada pela Polícia Civil que conseguiu rapidamente identificar e prendeu o autor, coletando importantes elementos de investigação em sua residência e no veículo utilizado no crime juntamente com o Instituto Geral de Perícias que rapidamente processou e analisou as amostras coletadas resultando na confirmação do DNA do investigado com o material biológico localizado nas roupas da vítima.

“Você pode até não ver, mas estamos sempre presentes”.

Colabore com a Polícia Civil – Disque 181 ou (49) 3646-0220 (Telefone e WhatsApp da Delegacia de Cunha Porã)

 

Etiquetas

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios