Polícia

Estudante que denunciou o pai por abuso sexual pediu socorro pelo WhatsApp: ‘Corre, me tira daqui’

A jovem de 24 anos que denunciou o pai por estupro em Jundiaí (SP) pediu ajuda a amigos por aplicativos de mensagens. O homem de 44 anos foi preso em flagrante, na madrugada de domingo (16) e negou o crime.

No dia da ocorrência, a vítima contou à polícia que no sábado (15) saiu com o pai para ir a um bar, em um momento de descontração. No entanto, a estudante passou mal em determinado momento e os dois foram para a casa dela, que mora com o irmão e um primo.

Anteriormente, o combinado seria que fossem para a casa do pai, onde moram os avós. De madrugada, ela afirmou que pegou no sono e acordou quando o pai teria praticado o crime.

Segundo o relato, ela o empurrou e correu para outro quarto. O pai a seguiu e perguntou se a filha queria falar sobre a situação. Embrigado, o homem dormiu.

Naquele momento, a jovem conta que falou sobre o estupro para amigos, que foram socorrê-la. Os prints de conversas a quais o G1 teve acesso mostram os pedidos de socorro da estudante.

“Vem aqui em casa agora. Eu fui molestada. Me ajuda”, escreveu em um trecho.

Um conhecido foi ao endereço e acionou a Polícia Militar, que o prendeu em flagrante. O homem teria dito que a filha estava confusa e que teria sido “carinho de pai”.

O suspeito passou por audiência de custódia e foi transferido para o Centro de Detenção Provisória de Campo Limpo Paulista (SP). (Fonte G1 Sorocaba e Jundiaí).

Receba Notícias no seu WhatasApp?
Clique no link:  https://chat.whatsapp.com/IqM6dk1CKP9BPRhRZlDv3E 

 

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios