Destaque

Empregadores e trabalhadores fecham novos valores para o piso regional

As federações empresariais, as centrais sindicais e federações de trabalhadores de Santa Catarina chegaram a um consenso para atualizar o mínimo regional para 2021. Os pisos acordados para as quatro faixas foram de R$ 1.281,00, R$ 1.329,00, R$ 1.404,00 e R$ 1.467,00. A atualização média foi de 5,45%, em linha com o INPC. Os novos valores foram acordados durante reunião na Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), nesta quarta-feira (20), em Florianópolis. A assinatura formal da negociação será feita nesta sexta-feira, dia 21.

O presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar, destacou a relação harmoniosa entre os representantes dos trabalhadores e do setor produtivo. “Pelo décimo primeiro ano consecutivo realizamos a negociação e com muito diálogo construímos um acordo e chegamos a um resultado de consenso, apesar do momento desafiador”, afirmou.

Clique aqui e receba notícias de Chapecó e Região, do Brasil e do mundo pelo WhatsApp!

“Dos cinco estados que têm o piso regional regulamentado, apenas em Santa Catarina as legítimas partes, efetivamente, negociam o estabelecimento dos valores. Então, em que pese os desafios e a insegurança que a pandemia trouxe para a economia, a exemplo de anos anteriores, conseguimos chegar a um consenso”, disse o presidente da Câmara de Relações Trabalhistas da Fiesc, Durval Marcatto Júnior.

“A dificuldade que nós tivemos na negociação deste ano foi o INPC, que fechou o mês de dezembro de 2020 em alta. O acumulado de janeiro a dezembro de 2020 ficou em 5,45%”, disse o representante dos trabalhadores, Ivo Castanheira, diretor da Federação dos Trabalhadores no Comércio (Fecesc). Ele acrescentou que, considerando as negociações coletivas de trabalho de dezembro e o cenário econômico, o resultado é razoável e que, por isso, era importante fechar o acordo nestas condições.

Entre os representados na negociação estiveram pelo lado empregador: Fiesc (Federação das Indústrias de SC); Faesc (Federação da Agricultura); Fecomércio (Federação do Comércio), Fetrancesc (Federação das Empresas de Transportes de Cargas) e Federação dos Hospitais (FEHOESC). Entre os representantes dos trabalhadores estiveram: Fecesc, Fetiesc, Fetiaesc, Força Sindical, Nova Central dos Trabalhadores, UGT, CUT, Fetaesc e Dieese.

Veja abaixo as faixas que compõem o mínimo regional:

  Piso Atual Piso Proposto 2021
Primeira Faixa R$ 1.215,00 1.281,00
Segunda Faixa R$ 1.260,00 1.329,00
Terceira Faixa R$ 1.331,00 1.404,00
Quarta Faixa R$ 1.391,00 1.467,00

Trabalhadores que integram as quatro faixas do mínimo regional catarinense:
Primeira faixa:

  1. a) na agricultura e na pecuária;
    b) nas indústrias extrativas e beneficiamento;
    c) em empresas de pesca e aquicultura;
    d) empregados domésticos;
    e) em turismo e hospitalidade (Redação da alínea revogada pela LPC 551/11);
    f) nas indústrias da construção civil;
    g) nas indústrias de instrumentos musicais e brinquedos;
    h) em estabelecimentos hípicos; e
    i) empregados motociclistas, motoboys e do transporte em geral, excetuando-se os motoristas.

    Segunda faixa: 
    a) nas indústrias do vestuário e calçado;
    b) nas indústrias de fiação e tecelagem;
    c) nas indústrias de artefatos de couro;
    d) nas indústrias do papel, papelão e cortiça;
    e) em empresas distribuidoras e vendedoras de jornais e revistas e empregados em bancas, vendedores ambulantes de jornais e revistas;
    f) empregados da administração das empresas proprietárias de jornais e revistas;
    g) empregados em empresas de comunicações e telemarketing; e
    h) nas indústrias do mobiliário.

    Terceira faixa:
    a) nas indústrias químicas e farmacêuticas;
    b) nas indústrias cinematográficas;
    c) nas indústrias da alimentação;
    d) empregados no comércio em geral; e
    e) empregados de agentes autônomos do comércio.

    Quarta faixa:
    a) nas indústrias metalúrgicas, mecânicas e de material elétrico;
    b) nas indústrias gráficas;
    c) nas indústrias de vidros, cristais, espelhos, cerâmica de louça e porcelana;
    d) nas indústrias de artefatos de borracha;
    e) em empresas de seguros privados e capitalização e de agentes autônomos de seguros privados e de crédito;
    f) em edifícios e condomínios residenciais, comerciais e similares, em turismo e hospitalidade;
    g) nas indústrias de joalheria e lapidação de pedras preciosas;
    h) auxiliares em administração escolar (empregados de estabelecimentos de ensino);
    i) empregados em estabelecimento de cultura;
    j) empregados em processamento de dados;
    k) empregados motoristas do transporte em geral;
    I) empregados em estabelecimentos de serviços de saúde.

Imprensa FIESC

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios