Empreendedorismo e desenvolvimento socioeconômico potencializados no Extremo Oeste

Prefeito de Itapiranga, Jorge Welter (Foto: Divulgação Prefeitura)

Estruturar e implementar ações para fortalecer o desenvolvimento socioeconômico com incentivo ao empreendedorismo e estratégias para alcançar uma gestão pública eficiente. Este é o foco do Programa Cidade Empreendedora – iniciativa com duração de dois anos que teve início em 2017 em 38 municípios de Santa Catarina por meio de parceria entre Sebrae/SC e Prefeituras. Neste ano, começa uma nova fase com o ciclo 2 que poderá ser implementado nos locais que já passaram pelo projeto, além de novas oportunidades para quem quiser conhecer e aderir à primeira etapa.

Em dezembro de 2018 encerraram as atividades do ciclo 1 nos municípios que aderiram ao programa em 2017. Entre os participantes, estiveram cinco cidades do Extremo Oeste de Santa Catarina que obtiveram destaque pelos expressivos resultados. Destes, três atuaram com o pacote ultimate que inclui 34 soluções (Maravilha, São José do Cedro e Itapiranga) e outros dois aderiram ao pacote essencial com 16 soluções (Anchieta e Descanso).

Para a realização das ações, o Sebrae disponibilizou mais 20 profissionais e técnicos que atuaram com foco nas demandas de promoção da cultura do empreendedorismo. Entre os assuntos abordados estiveram a capacitação dos atores do desenvolvimento, a desburocratização do processo de abertura, alteração e baixa de empresas, a ampliação do uso do poder de compras do município gerando oportunidades para os pequenos negócios, a estruturação da Sala do Empreendedor, e a identificação de oportunidades e reflexão sobre estratégias que podem ser utilizadas, visando estruturar políticas públicas e práticas de fomento ao crescimento econômico local.

O ciclo 1 é a porta de acesso ao Programa Cidade Empreendedora. Nesta fase, são construídos alinhamentos e fundamentos importantes para o ambiente de negócios. Já o Programa Cidade Empreendedora – ciclo 2 é a oportunidade para continuar no avanço da transformação local pela implantação de políticas de desenvolvimento agregando um nível maior de complexidade.

ITAPIRANGA

Com 16.700 habitantes, Itapiranga tem como pilar econômico a agropecuária com destaque para a suinocultura, avicultura e bovinocultura de leite, cultivo de milho, entre outros. A base da geração de empregos está na indústria de transformação, que compreende a agroindústria. Para fomentar a expansão local, a Prefeitura apostou no Cidade Empreendedora e colheu bons frutos.

O prefeito Jorge Welter destaca que a aplicação do programa foi essencial para apontar caminhos para o desenvolvimento da indústria, do comércio, dos serviços e do turismo. “Com a iniciativa, estamos mudando o rumo do futuro de Itapiranga, pois tivemos acesso a soluções que vêm ao encontro de uma administração que tenha condição de estimular econômica e sustentavelmente o nosso município”.

A secretária de Desenvolvimento Econômico e Turismo Carlise Welter Werlang,reforça o sucesso das atividades e menciona alguns exemplos que foram importantes para promover o empreendedorismo. A implantação da Sala do Empreendedor, segundo ela, fortaleceu o atendimento aos empresários e futuros empreendedores e o Plano de Desenvolvimento Econômico (PEDEM) foi essencial para a criação de oportunidades aos empreendedores visando melhorar o ambiente de negócios da cidade. “O Planejamento Estratégico para a Gestão Municipal (PEGEM) possibilitou a identificação dos projetos prioritários para serem promovidos por cada secretaria do município. Além disso, foi oportunizado aos servidores conhecer estratégias da Gestão Estratégica Orientada para Resultados (GEOR), permitindo o acompanhamento dos projetos, das ações e indicadores em tempo real, facilitando a tomada de decisão do gestor”.

SÃO JOSÉ DO CEDRO

Formado por uma população de aproximadamente 14 mil habitantes, São José do Cedro vem obtendo bons índices de desenvolvimento e, com o Cidade Empreendedora, teve a oportunidade de implantar estratégias para fortalecer as ações de promoção do crescimento local.

O prefeito Plínio de Castro observa que a iniciativa possibilitou juntar esforços com o Sebrae para consolidar uma parceria em prol do desenvolvimento e avalia de forma positiva as ações realizadas. A secretária da fazenda e coordenadora do Cidade Empreendedora em São José do Cedro, Vera Costa, complementa que entre os destaques estiveram as ações da Sala do Empreendedor que auxiliaram e continuam auxiliando muitos empresários, esclarecendo dúvidas e reduzindo custos. “Outra iniciativa em evidência foi o PEDEM com foco para o turismo que nos demonstrou que desconhecíamos as belezas e potenciais de nossa cidade. O Programa Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPP) também foi muito importante, pois ampliou a visão dos alunos e até mesmo dos pais com relação a uma compreensão maior sobre como funciona um negócio próprio e como controlar e administrar o uso do próprio dinheiro”.

Prefeito de São José do Cedro, Plínio de Castro (Foto: Divulgação Prefeitura)

MARAVILHA

Com mais de 25 mil habitantes e 45ª maior cidade de Santa Catarina, Maravilha prioriza o desenvolvimento local e regional e ações para elevar a qualidade de vida da população. Segundo o secretário de indústria e comércio do município, Gelson Rossetto, o Programa Cidade Empreendedora surgiu para contribuir de forma ampla com a própria gestão municipal, auxiliando nos processos de atendimento, capacitação e acompanhamento da Sala do Empreendedor. O PEDEM também foi fundamental para o fortalecimento dos três principais eixos econômicos do município (eletrometalmecânico, agroindústria e têxtil), bem como o PEGEM foi para a gestão interna da esfera municipal, na busca constante pela maximização da administração pública. Outro destaque foram as consultorias para melhoria das compras públicas, tanto que hoje o município é referência quando o assunto é compras governamentais.

A prefeita Rosimar Maldaner completa que a parceria com o Sebrae oportunizou identificar aspectos que precisavam de melhorias para promover um ambiente de negócios favorável e atraente aos empreendedores. Para ela, a adesão ao programa foi importante para fomentar o protagonismo e a transformação local, visando um município inovador que se destaca pelo constante desenvolvimento econômico e social.

Prefeita de Maravilha, Rosimar Maldaner (Foto: ASCOM Maravilha)

ANCHIETA

Em Anchieta, as principais ações do Cidade Empreendedora incluíram o Programa de Educação Empreendedora, as atividades da Sala do Empreendedor, o projeto de desburocratização, entre outros. O prefeito Ivan Canci salienta que o objetivo foi promover o desenvolvimento do município com a criação de políticas que oferecem condições adequadas para quem quer empreender. “Um de nossos objetivos foi despertar na sociedade novos empreendedores para investir e aumentar a capacidade de trabalho”.

DESCANSO

As ações desenvolvidas em Descanso oportunizaram avanços em vários aspectos com destaque para a Sala do Empreendedor e a questão das compras governamentais que tornaram o município reconhecido pelo expressivo resultado neste quesito. Para o prefeitoSadi Bonamigo, estimular o empreendedorismo e o desenvolvimento das empresas significa gerar mais emprego, renda e promover a expansão local e regional.

CIDADE EMPREENDEDORA 2019

É do Extremo Oeste também o primeiro município a aderir ao Cidade Empreendedora em 2019. Em um evento com a presença da nova diretoria executiva do Sebrae/SC: Diretor Superintendente Carlos Henrique Ramos Fonseca, Diretor Técnico Luciano Pinheiro e Diretor de Administração e Finanças Anacleto Angelo Ortigara, foi assinado o primeiro contrato do ano de adesão ao programa no ciclo 1, oficializando a parceria entre a prefeitura de Palma Sola e o Sebrae/SC.

As ações serão executadas em conjunto com a prefeitura, Conselho de Desenvolvimento Econômico, Associação Comercial e Empresarial e Câmara de Dirigentes Lojistas. “Acreditamos muito nesse programa. Precisamos resolver alguns entraves e o Cidade Empreendedora com certeza vem para ajudar nesse sentido”, afirma o prefeito Cleomar Mantelli.

Ao falar sobre as expectativas em Palma Sola, o coordenador regional extremo oeste do Sebrae/SC, Udo Martin Trennepohl, salienta que o município atingirá os objetivos de colocar em prática ações que promoverão desenvolvimento de forma sustentável. “Temos relatos de cidades que cresceram muito no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) com a contribuição do programa. Não temos dúvidas de que com o comprometimento dos atores de desenvolvimento de Palma Sola teremos em breve mais um excelente case de sucesso”, finaliza.