DestaquePolítica

DPCAMI de Chapecó apresenta dados de violência contra a mulher ao Poder Legislativo

Na tarde desta quarta-feira (23), a Câmara Municipal de Chapecó recebeu a visita do Delegado Titular da Delegacia de Polícia da Criança, Adolescente Mulher e Idoso (DPCAMI)José Airton Stang. Atendendo ao requerimento da vereadora Marcilei Vignatti (PT). 

Segundo o delegado, o Brasil é quinto país mais violento para as mulheres, são 4.700 mulheres assassinadas por ano, aproximadamente 13 mortes por dia. Em âmbito estadual, Santa Catarina registrou 40 casos de feminicídios em 2019. Atualmente, a DPCAMI está presente em 31 municípios do estado. Somente em Chapecó, neste ano foram atendidos sete mil ocorrências, 800 inquéritos, 600 medidas provisórias, 31 prisões e registrado um caso de feminicídio, de uma vítima que nunca havia procurado atendimento.

Os vereadores questionaram sobre o serviço de plantão da delegacia. O Delegado esclareceu que este trabalho não é realizado devido a falta de efetivo, um problema enfrentado pelas DPCAMI’s do estado. Estão previstos 5997 cargos para atuação nas delegacias e somente 3000 estão sendo ocupados.

Ainda de acordo com o delegado, o projeto futuro é realizar atendimento multidisciplinar nas DPCAMI’s com a atuação de psicólogos, assistentes sociais e advogados. “Muitas vezes a mulher procura a delegacia por estar com medo, mas sem ter ocorrido a violência de fato. Nesses casos, a DPCAMI não consegue atender e temos que encaminhar para outros setores de assistência. O projeto serve para, ao procurar o atendimentoa mulher seja acolhida e o problema diagnosticado e resolvido antes mesmo de acontecer qualquer tipo de violência”, comenta Stang.

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios