Destaque

Custo do cesto de produtos básicos registra redução

Neste mês o custo do cesto de produtos básicos registra em Chapecó leve redução de 0,14% em relação ao mês passado. Em valores reais, o preço médio nos supermercados atualmente é de R$ 1.890,71, enquanto em outubro foi de R$ 1.893,37. Na comparação com novembro de 2020, quando o custo monetário do cesto foi de R$ 1.635,43, observa-se aumento de 15,61%, diante de inflação que chegou a 11,08% medida pelo INPC.

Clique aqui e receba notícias de Chapecó e Região, do Brasil e do mundo pelo WhatsApp

Segundo estudo feito pelo curso de Ciências Econômicas da Unochapecó, em parceria com o Sindicato do Comércio da Região de Chapecó, por meio do Sicom Pesquisas, a banana foi o item que apresentou maior redução, com variação percentual no preço de 20,40%. O levantamento avalia que a queda do preço da banana se deve à baixa demanda,  segundo o site HF Brasil. Os produtores esperavam redução na oferta para o fim do mês de outubro e aumento do preço, mas a banana continua com seu preço desvalorizado.

Também apresentaram queda, na comparação com outubro, a couve (19,92%), ovos vermelhos (11,82%), repolho (10,08%) e o sabão em pó (7,45%). Já o aumento mais significativo foi na laranja suco, com elevação de 44,08%. De acordo com o Sicom Pesquisas, também apresentaram aumento de preço o tomate comum (42,73%), detergente líquido (21,07%), fermento para pão (20,64%) e papel higiênico (20,48%).

Grupos e subgrupos

Ao analisar separadamente os grupos que compõe o cesto básico, a pesquisa identificou que o grupo dos produtos alimentares foi o que mais contribuiu para essa redução no preço do cesto, alcançando a soma de R$ 1.377,69 para os consumidores, representando redução de 1,03% sobre outubro e aumento de 15,76% em relação a novembro de 2020. Nesse grupo, o subgrupo dos produtos semi-industrializados foi o que teve maior redução, de 3,16%. Ainda entre os alimentares, os produtos in natura apresentaram aumento de 1,48%, enquanto os industrializados aumentaram 0,23%.

No grupo dos produtos não alimentares, a variação registrada foi de 4,33% em comparação ao mês anterior, e de 17,08% em relação aos últimos 12 meses. Nos subgrupos dos produtos não alimentares, os artigos de higiene aumentaram 5,68% em novembro e no grupo dos materiais de limpeza a elevação foi de 2,69%. Já o grupo de serviços tarifados, como energia elétrica, água e gás de cozinha, registrou aumento de preços na ordem de 1,63%.

Neste mês, uma família chapecoense necessita de 1,72 salário mínimo líquido para adquirir o cesto de produtos básicos.

Cesta básica

Ao contrário da redução no cesto de 57 produtos básicos, na cesta de 13 itens a análise conjunta Unochapecó/Sicom Pesquisas identificou aumento de 0,96% de outubro para novembro. Em 12 meses há elevação de custo em 17,80%. O valor foi de R$ 498,58 para R$ 503,36. Extra Comunica

 

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios