Chapecó supera meta de cobertura vacinal

FOTO: Arquivo/Prefeitura de Chapecó

A cobertura vacinal de Chapecó apresentou melhorias no comparativo entre 2017 e 2018, atingindo a meta preconizada pelo Ministério da Saúde, por meio do Programa Nacional de Imunização. De acordo com os relatórios da Secretaria de Saúde de Chapecó, houve uma melhora significativa, com destaque para as vacinas Triplice Viral e Poliomielite, e além disso, a vacina BCG ultrapassou os 100% de cobertura. Esse aumento é resultado da intensificação das campanhas e do engajamento dos profissionais.

A vacina é a melhor forma para proteger contra doenças graves. O Programa Nacional de Imunizações – PNI tem avançado para proporcionar melhor qualidade de vida à população com a prevenção de doenças. O Calendário Nacional contempla não só as crianças, mas também adolescentes, adultos, idosos e gestantes. Em Chapecó as vacinas são disponibilizadas nos 26 Centros de Saúde da Família que atendem das 07h30 às 11h30 e das 13 às 17 horas. Importante procurar o Posto de Saúde com Caderneta de Vacina e documentos pessoais.

De acordo com o Ministério da Saúde, muitas doenças comuns no Brasil e no mundo deixaram de ser um problema de saúde pública por causa da vacinação. O que a vacina faz é gerar imunidade com os mesmos antígenos que causam a doença, mas enfraquecidos ou mortos, a vacina ensina e estimula o sistema imunológico a produzir os anticorpos que levam à imunidade. A cobertura vacinal é um importante indicador que estima o nível de proteção da população contra doenças selecionadas, evitáveis por imunização.

Relatório de Cobertura Vacinal Município de Chapecó 2018
ImunobiológicoCobertura Vacinal 2017%Cobertura Vacinal 2018%Cobertura Vacinal Recomendada pelo PNI
BCG – Cobertura12811090%
Rotavírus Humano – Cobertura909790%
Pneumocóccica(<1 ano) – Cobertura979895%
Menigocócica Conj.C(< 1 ano) – Cobertura9310095%
Pentavalente (< 1 ano) – Cobertura929595%
Tríplice Viral – D1 – Cobertura879695%
Tríplice Viral – D2 – Cobertura899595%
FA (<1 ano a < 2 anos) – Cobertura91100100%
Poliomielite(< 1 ano) – Cobertura929795%
Varicela – Cobertura899695%
Hepatite A – Cobertura939595%
Fonte: SIPNI em 03/01/2019

Saiba mais:

Vacina BCG

Previne contra tuberculose

Indicação: a partir do nascimento até os 5 anos de idade. Outras recomendações: Pessoas de qualquer idade que convivem com portadores de hanseníase (lepra).

Esquema: Dose única

Vacina hepatite B

Previne Infecção causada pelo Vírus da Hepatite B. Indicação: crianças e adultos

Esquema: para crianças quatro doses: ao nascimento, 2, 4 e 6 meses de vida. Adolescentes, adultos e idosos (não vacinados), recomenda-se três doses com intervalo de um mês entre primeira e a segunda e de cinco meses da segunda para a terceira.

Vacinas poliomielite

Previne: Poliomielite (paralisia infantil). Indicação: para crianças menores de 5 anos.

Esquemas: aos 2, 4 e 6 meses, com reforços entre 15 e 18 meses e entre 4 e 5 anos de idade.

Vacina Pentavalente

Previne: Difteria, tétano, coqueluche, meningite por Hib (bactéria Haemophilus influenza e tipo b) e hepatite B.

Indicação: Crianças até 7 anos de idade, mesmo as que já tiveram tétano, difteria, doença causada pelo Hib e/ou coqueluche.

Esquema: Uma dose aos 2, 4 e 6 meses de idade. Reforço aos 15 meses e 4 anos com a DTP (difteria, tétano e coqueluche).

Vacinas pneumocócicas conjugadas

Previne: contra cerca de 70% das doenças graves (pneumonia, meningite, otite) em crianças.

Indicações: para crianças a partir de 2 meses a menores de 6 anos de idade. Esquemas: aos 2 e 4 meses de vida e reforço entre 12 e 15 meses.

Vacina febre amarela — FA

Previne: Febre amarela.

Indicação: Crianças a partir de 9 meses de idade, adolescentes e adultos nas áreas de recomendação de vacinação; viagem nacional/internacional de risco com obrigatoriedade de vacinação.

Esquema: dose única aos 9 meses ou para quem não recebeu a vacina.

Em situações de exigência, a dose deve ter sido aplicada no mínimo dez dias antes da viagem.

Vacina meningocócica C conjugada

Previne: Doenças        causadas         pelo     meningococo  C         (incluindo meningite e meningococcemia).

Indicação: Para crianças e adolescentes.

Esquemas: aos 3 e 5 meses, com reforço aos 12 meses. Adolescentes: dose única entre 11 a 14 anos.

Vacina rotavírus

Previne: Doença diarreica causada por rotavírus. Indicação: Bebês de 2 a 4 meses.

Esquema: aos 2 e 4 meses de idade.

Vacina tríplice viral

Previne: Sarampo, caxumba e rubéola. Indicação: Crianças, adolescentes e adultos.

Esquemas: primeira dose aos 12 meses de idade e segunda dose aos 15 meses com a Tetraviral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela). Adultos até 29 anos devem ser feitas 2 doses; adultos de 30 a 49 anos, se não vacinados anteriormente, apenas uma dose.

Profissionais de saúde, independente da idade, administrar duas doses, observando intervalo mínimo de 30 dias.

Vacina Varicela

Previne: Varicela (catapora).

Indicação: Crianças acima de 12 meses.

Esquema: uma dose de varicela, na apresentação tetraviral (Sarampo, caxumba, rubéola e varicela) nas crianças com 15 meses que já tomaram a primeira dose de tríplice viral e um reforço aos 4 anos.

Vacina hepatite A

Previne: Hepatite A.

Indicação: A partir de 12 meses de vida.

Esquema: dose única aos 15 meses ou antes dos 2 anos de idade

Vacina HPV

Previne: Infecções persistentes e lesões pré-cancerosas causadas pelos tipos de HPV 6,11,16,18. Também previne o câncer de colo do útero, da vulva, da vagina, do ânus e verrugas genitais (condiloma).

Indicação: para meninas e meninos de 9 a 13 anos de idade.

Esquemas: Meninas, duas doses com intervalo de 6 meses. Idade dos 9 a 14 anos. Meninos: duas doses com intervalo de 6 meses, idade de 11 a 14 anos.

Vacina dupla bacteriana do tipo adulto — dT

Previne: Difteria e tétano.

Indicações: A partir dos 7 anos de idade, com reforços a cada dez anos. Esquema: Uma a três doses, de acordo com o histórico vacinal de cada pessoa.

Vacinas para as Gestantes

Hepatite B: Indicada 3 doses para todas as gestantes que não possuem vacinação ou Anti-HBS Não Reagente.

Dupla Adulto (Tétano e Difteria): quando ultima dose tiver mais de 5 anos, ou quando não há história de vacinação.

DTPa (Difteria, Tétano e Coqueluche acelular): deve ser feita uma dose a partir da 20ª semana de gestação.