Polícia

Caso Priscila: Trajetória da bala contraria tese de suicídio da modelo

O Jornal da Record apurou que a versão de que a modelo Priscila Delgado de Bairros, de 27 anos, cometeu um suicídio, tese até agora sustentada pela investigação, não bate com o exame necroscópico do corpo. Policiais dizem que a trajetória da bala que atingiu o coração da jovem reforça indícios de que o tiro não teria sido disparado por ela.

Priscila morreu no dia 20 após um confronto com o namorado, o delegado Paulo Bylinskyj, no apartamento dele, em São Bernardo do Campo (SP). Ele diz ter sido baleado seis vezes e segue internado em um hospital da cidade.

A defesa da família de Priscila acredita que o delegado possa ter atirado na modelo. “A minha sugestão é que é possível que eles tenham entrado em luta e, ele baleado, acabou retirando a arma da mão dessa moça e acabou disparando um tiro fatal”, diz o advogado José Roberto Rosa.

O primo de Priscila, que também prefere preservar a identidade, questiona o fato de a arma ter sido deixada na cena do crime sem o carregador e com uma bala não disparada. “Aquilo lá parece vício de alguém que usa muita arma”, afirmou. “Como a Priscila se daria um tiro no peito e descarregaria arma? Está muito mal contado isso”.

Na portaria do prédio do delegado, o pai dele deixou em sete sacos de lixo as roupas e todos os objetos pessoais da modelo Priscila Delgado. Para retirar os pertences, a defesa da família precisou assinar um recibo. Por telefone, de Curitiba, uma prima que falou em nome da família, mas não quis revelar a identidade, disse que todos estão indignados.

“Não é justo conosco, com a Priscila , com a memória dela”, diz a prima. “Ela era uma pessoa maravilhosa. A gente sabe que ela não faria isso. A forma como as coisas dela foram descartadas, como se ela não fosse nada. Isso a gente não aceita”. (Fonte R7).

Receba Notícias no seu WhatasApp?
Clique no link: https://chat.whatsapp.com/J4WlEehakUP9cOsnsHJ4Ng

Etiquetas

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios