Polícia

Bebês são vítimas de tortura psicológica em pré-escola de SC

Duas professoras e três auxiliares de uma pré-escola foram condenadas, pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), por terem praticado tortura psicológica como forma de castigo às crianças do berçário. O crime ocorreu em Fraiburgo, no Meio-Oeste de Santa Catarina. O nome da instituição não foi informado pelo MPSC. As informações são do portal ND+.

Clique aqui e receba notícias de Chapecó e Região, do Brasil e do mundo pelo WhatsApp

“As crianças eram castigadas porque choravam ou não agiam da forma como ordenavam. Elas eram colocadas em uma caixa de papelão, previamente preparada, contendo um boneco com uma máscara aterrorizante de monstro, cobrindo a abertura com um pano ou fechando as abas”, relatou a denúncia.

O MPSC explica que os bebês eram mantidos dentro da caixa por tempo suficiente para ficarem atemorizadas. Com isso, choravam incontrolavelmente diante da pressão psicológica a que eram submetidas.

O Promotor de Justiça Eliatar Silva Junior sustentou que a conduta das denunciadas expôs todos os 22 alunos dos berçários I e II a um intenso sofrimento mental. Isso porque  mesmo os que não eram colocados dentro da caixa presenciavam as cenas lastimáveis e ouviam o choro e o desespero dos coleguinhas.

Diante das provas apresentadas, o Juízo da 2ª Vara da Comarca de Fraiburgo condenou as rés pelo delito previsto na Lei 9.455/97, que diz constituir crime de tortura submeter alguém, sob sua guarda, poder ou autoridade, com emprego de violência ou grave ameaça, a intenso sofrimento físico ou mental, como forma de aplicar castigo pessoal ou medida de caráter preventivo – sendo, no caso da diretora, por omissão.

A elas foi concedida a suspensão condicional da pena por quatro anos, devendo, no primeiro ano, submeterem-se à limitação de finais de semana. A decisão é passível de recurso.

O nome da pré-escola não foi divulgado para preservar a identidade das vítimas. Do ND+

 

Etiquetas

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios