Blogs e ColunasPolítica

ARTIGO: O crescimento do uso do gás natural e a nova lei em pauta

Celso Maldaner – Deputado Federal (MDB/SC)

Em meio à pandemia da covid-19, o consumo de gás natural teve um crescimento importante em todo o Brasil, sendo um insumo fundamental para diversos setores da nossa economia, como alimentos, medicamentos, indústria, incluindo também a geração de energia elétrica, além de preservar o meio ambiente, mas ainda esbarra no preço alto e na baixa oferta, provocado pelo monopólio da Petrobras, que impede o desenvolvimento e o investimento de novos capitais.

Com isso, entrou em pauta no Congresso Nacional uma alternativa bem viável para garantir mais qualidade e acesso com menor preço, a Nova Lei do Gás. O PL 6407/2013 é considerado uma pauta positiva especialmente pela indústria brasileira, alterando o regime de outorga, que passa de concessão para autorização, ou seja, mais empresas vão poder atuar no fornecimento do gás natural.

Clique aqui e receba notícias de Chapecó e Região, do Brasil e do mundo pelo WhatsApp!

A abertura do mercado para novos investidores e, possivelmente, novos competidores que poderão explorar os recursos, vai além de baratear o preço tanto para a população quanto para a indústria, destravar investimentos; com geração de emprego e renda. Em dez anos, mais de 4 milhões de empregos devem ser gerados, contribuindo para a retomada econômica do país pós-pandemia e melhorar a vida da população.

Com o aumento da oferta e a queda dos preços, a indústria, principal consumidor de gás natural, terá seus custos de produção reduzidos, além de tornar os produtos mais acessíveis aos brasileiros, com redução de importação e aumento da exportação, trazendo crescimento ao país. Na área de transporte, o uso do GNV pode substituir o etanol e o diesel por ser bem menos poluente que os demais combustíveis.

Nas residências, é usado para aquecimento de chuveiros, saunas, piscinas, lavadoras e secadoras de roupa, acendimento de fogões, assim como é indicado para sistemas de refrigeração, lareiras, aquecedores de ambiente e até para churrasqueiras.

Em Santa Catarina, o aumento foi de 21,13% entre os meses de abril e maio deste ano. Os dados da SCGás, avalizam a tendência de que o uso do produto vem ganhando força.

Recentemente o governo de Santa Catarina inaugurou um projeto pioneiro de interiorização da oferta de gás natural no Estado. O principal objetivo em seu plano estratégico até o ano de 2024 prevê R$ 410 milhões em investimentos, estendendo o produto para o Alto Vale do Itajaí, Serra Catarinense e parte do Planalto Norte.

Este projeto se torna cada vez mais importante também para o grande oeste catarinense, polo das agroindústrias, onde atualmente a lenha é o principal insumo consumido. O momento em que o gás chegar nas agroindústrias, a competitividade do setor produtivo com certeza vai aumentar e quem ganha com isso é o consumidor final, e tenho certeza que a nova lei do gás vai impulsionar essa chegada.

O requerimento de urgência já foi aprovado pelos parlamentares e o parecer do relator já está consolidado. Aguardando apenas a inclusão da matéria na ordem do dia.

 

Etiquetas

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios