Geral

Após 400 dias, bombeiros diminuem efetivo nas buscas em Brumadinho

A maior operação de resgate da história, iniciado após o rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho, completa, nesta sexta (28), 400 dias ininterruptos. Com menos da metade do efetivo que atuava na lama, os bombeiros continuam as buscas pelas 11 vítimas desaparecidas, sem prazo para terminar. Quem garante é o porta-voz da corporação tenente Pedro Aihara.

 

Há mais de um ano, cerca de 10,5 milhões de metros cúbicos de lama de rejeitos vazaram da barragem da Mina Córrego do Feijão e encobriu a área administrativa da Vale e também a comunidade do entorno. Até agora, 259 pessoas foram identificadas. Onze seguem desaparecidas.

“Passados 400 dias depois, a situação de trabalho é bem mais complicada. Mas ainda não atingiu ponto de encerrar as buscas”, disse tenente Aihara.

De acordo com o militar, o número de bombeiros em campo reduziu de cerca de 150, aos 300 dias de operação, para 65, aos 400 dias, porque grande parte da área atingida pela lama de rejeitos já passou por varredura.

“Agora é um trabalho mais repetitivo, mais sistêmico, não justifica empregar a mesma quantidade de militares de fases anteriores, considerando o tipo de trabalho que é realizado agora. É mais uma forma de dimensionar os recursos humanos que a gente tem”, disse.

Embora tenha ocorrido a redução no efetivo, o de máquinas permanece em 150. Este maquinário pesado faz um processo que os militares denominam de “dobras”, que é revirar cuidadosamente o minério, enquanto um militar faz inspeção visual do material.

Os corpos foram encontrados em profundidades variadas, de 3 a 9 metros. 90% dos corpos estavam a uma profundidade máxima de 3 metros. (Fonte G1 Minas).

Receba Notícias no seu WhatasApp?
Clique no link:  https://chat.whatsapp.com/IqM6dk1CKP9BPRhRZlDv3E 

 

Etiquetas

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios