DestaqueEconomia

Agricultores de Santa Catarina buscam inovações para aumentar a renda no meio rural

A inovação está cada vez mais presente no agronegócio de Santa Catarina. Os agricultores estão buscando novas formas de produzir e tecnologias que vem transformando a realidade do campo. O secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Altair Silva, visitou propriedades em Vargeão (SC) na última semana, que são exemplos para o agro do futuro.

Leonardo Biotto é produtor de leite e decidiu investir no cultivo de trigo forrageiro para produção de silagem. Ocupar as lavouras também no inverno trouxe uma renda extra para o agricultor e os resultados são surpreendentes. Na última safra, foram 3 hectares destinados à produção de trigo e cada hectare gerou 40 toneladas de silagem – um desempenho bem acima da média, que é de 25 toneladas/hectare.

Clique aqui e receba notícias de Chapecó e Região, do Brasil e do mundo pelo WhatsApp!

“Visitamos duas propriedades rurais que podem inspirar outros produtores rurais em Santa Catarina. São dois agricultores que estão fazendo grandes inovações no processo produtivo. O Leonardo está produzindo uma silagem de grande poder nutritivo, uma produção fantástica e o produtor está muito animado”, destaca o secretário da Agricultura Altair Silva.

Segundo o extensionista da Epagri em Vargeão, Murilo Renan Mota, a produção de silagem de trigo é uma alternativa para que os agricultores consigam grandes volumes de alimentação para os bovinos também no inverno. “ A principal cultura utilizada para a produção de silagem é o milho, porém o cultivo ocorre no verão. Durante o inverno, esta mesma área acabava sendo cultivada com uma cobertura de aveia preta. Agora com o cultivo do trigo para silagem é possível produzir uma quantidade muito maior de alimento em volume por área e estocar esse alimento na forma de silagem”, explica.

Robotização na produção de leite

A chegada da internet foi um divisor de águas para a propriedade da família Pasquali. Com foco na bovinocultura de leite, Elizeu decidiu investir na automatização e hoje a ordenha é totalmente robotizada, praticamente sem nenhuma participação humana.

Levar internet para o campo e replicar o exemplo da família Pascoalli é uma das prioridades da Secretaria da Agricultura, que já estuda um projeto para investir R$ 5 milhões na conectividade de 20 municípios. “Na propriedade do Elizeu conseguimos ver como a internet pode transformar o processo produtivo. Por isso vamos abraçar esse programa para levar mais educação para o meio rural e também fomentar a agricultura 4.0. Precisamos dos meios digitais para que os produtores rurais tenham acesso à tecnologia e inovação”, ressalta Altair Silva.

A Secretaria já iniciou as tratativas também com o Governo Federal em busca de recursos do Ministério das Comunicações para que os trabalhadores rurais possam ter acesso pleno à internet, ampliando os mercados e melhorando a gestão das propriedades.

 

Etiquetas

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios