DestaqueEconomia

Famílias chapecoenses diminuem dívidas

O volume de famílias chapecoenses endividadas caiu no mês de outubro. Conforme a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência dos Consumidores (Peic), realizada em Chapecó conjuntamente entre o Sindicato do Comércio (Sicom) e a Federação do Comércio de Santa Catarina (Fecomércio/SC), o índice de famílias endividadas baixou de 51,9%, registrados em setembro, para 51,3% averiguados no mês de outubro. Em comparação com o percentual levantado em Chapecó em outubro de 2018, o índice aumentou, já que o grau de endividamento há 12 meses foi de 39,5%.

Possuem contas em atraso 19,4% das famílias e 7,5% disseram não ter condições de fazer o pagamento. A Divisão de Pesquisa e Estatística do Sicom indica, quanto ao tempo de pagamento das dívidas em atraso, que 45,2% levarão acima de 90 dias, 44% de 30 a 90 dias e 10,8% até 30 dias. Quanto às condições de pagamento das contas em atraso, entre as famílias endividadas, 46,2% especificaram pagar totalmente e 38,7% não terão condições de pagar.

Quanto ao tipo de dívida existente no mês de outubro, das famílias chapecoenses entrevistadas 59,6% afirmaram que têm compromissos com carnês. Outras, na ordem de 46,7%, indicaram que estão comprometidas com o uso do cartão de crédito, enquanto 20,3% estão comprometidas com o financiamento de carro e 20,2% com o crédito pessoal. Por serem dívidas de longo prazo, 50,9% indicaram que levarão mais de um ano para quitá-las, enquanto outros 15,8% irão levar até três meses.

Renda comprometida

Sobre a parcela de renda comprometida, 67% dos entrevistados indicaram que vai de 10% a 50% e 2% disseram que é superior a 50% dos rendimentos. (Informações Extra Comunica).

Quer receber Notícias como esta no seu WhatasApp?
Clique no link: https://chat.whatsapp.com/IqM6dk1CKP9BPRhRZlDv3E 

 

Etiquetas

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios